Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

segunda-feira, 30 de março de 2009

Meninos X Meninas

Entenda a diferença de aprendizado entre meninas e meninos

Por Içami Tiba
Um professor fazendo uma explicação a uma classe mista de alunos. De repente, o professor escuta conversas. Ele interrompe sua explicação, exige silêncio e emenda uma bronca na classe.

O professor agiu corretamente?

Depende. Se os conversadores fossem rapazes, assim como os outros alunos, ele agiu acertadamente. Os rapazes, quando conversam, não conseguem prestar atenção no professor. Ou prestam atenção na conversa ou no professor. O professor também se atrapalha na sua explicação. Ou explica ou escuta. O cérebro masculino executa uma coisa de cada vez. Agora, a bronca na classe toda, isto é para mostrar quem manda naquele território...

Na mesma situação, na mesma classe, mas agora é uma professora que explica. Ela não se incomoda com as conversas paralelas, portanto não interrompeu a sua explicação nem deu bronca em ninguém.

A professora agiu corretamente?

Depende. Se quem conversava eram os rapazes, ela fez mal em não exigir silêncio deles, pois, com certeza, eles não estariam prestando atenção na explicação. Mas se fossem garotas, elas conseguiriam manter a atenção na explicação da professora e ainda fazer comentários paralelos sobre a roupa, sapatos, óculos que ela estivesse usando e comparar com o que ela usou "outro dia"... Para que dar bronca na classe, se ela não está incomodada com as conversas paralelas e nem querendo mostrar quem manda lá? Para ela basta cumprir a sua parte e não mostrar autoridade.

Um homem volta para casa. Ele precisa descansar. Então liga a TV e assiste a um jogo de futebol, a filmes de luta, briga ou guerra, a uma corrida de F1. Prefere ficar sozinho, em frente à telinha com jogos de computador. É a versão moderna do jurássico caçador cheio de testosterona.

Uma mulher volta para casa. Ela também precisa descansar. Então liga para uma amiga, se possível, encontra com ela, liga a TV para assistir a uma novela enquanto conversa com a empregada ou a um filme de amor, lê um romance, cuida da casa. São os jurássicos hormônios estrogênio e progesterona do relacionamento.

Hoje há homens assistindo novelas e mulheres indo a estádios de futebol. Estarão degenerando os gêneros a que pertencem? Muito propícia a comemoração de 200 anos do nascimento de Charles Darwin. Ele pôs em confronto a sua criação, o evolucionismo, com o criacionismo da Bíblia. Darwin afirmou na sua Teoria da Evolução publicada no seu livro "A Origem das Espécies": "há uma seleção natural ao longo das eras e sobrevive quem conseguir se adaptar às mudanças". O mundo está mudando. A sobrevivência não depende mais da força física, mas da capacitação profissional. 

O homem era melhor do que a mulher na matemática, na orientação espacial, na força física, atributos de um exímio caçador. Hoje ele precisa saber também se comunicar e se relacionar com outras pessoas.

A mulher cuidava das crianças, usava todos os sentidos para perceber se um filho estava bem ou não. Sua capacidade relacional e afetiva eram atributos necessários para a perpetuação da espécie, e continuam sendo. Hoje ela precisa saber também dirigir carros e empresas, e suas áreas responsáveis pelas ciências exatas já estão sendo estimuladas.

Biologicamente as diferenças já existentes deverão permanecer, mas funcionalmente tanto o masculino quanto o feminino terão muito mais áreas em comum diminuindo bastante estas clássicas diferenças: masculino é bom nas exatas e feminino nas humanas. 

Nenhum comentário: