Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

domingo, 12 de abril de 2009

Eu o amo, mas não aceito o que você está fazendo de errado!

Quem ama educa, direciona, mostra o caminho. Não é por que somos pais, educadores ou amigos que devemos apoiar coisas erradas em nossos filhos, alunos e conhecidos. muitas vezes somos o norte a seguir, o rumo certo. As palavras tem força, um bom conselho pode mudar uma vida.

Entendendo a Vida


Em seu livro "Até as águias precisam de um empurrão" o consultor americano David Macnally cita a entrevista que um bem sucedido presidente de um banco a uma repórter perto da sua aposentadoria:

- Ao que o Senhor atribui o seu sucesso?

- Isso é fácil de responder: às boas decisões.

- E ao que o Senhor atribui suas boas decisões?

- Isso é mais fácil ainda: à sabedoria adquirida com a experiência.

- E onde o Senhor adquiriu essa experiência?

- Fácil de novo, com as más decisões. É comum nos lamentarmos e nos culparmos pelo nosso passado e pelos erros que cometemos. Temos dificuldades inclusive para nos perdoamos e dessa forma criamos um "estado mental" negativo que nos impede de assumirmos a responsabilidade de vivermos bem o hoje.

Quando porém, começamos a olhar os nossos fracassos, erros e más decisões como um presente de nosso "Poder Superior", pois sendo seres humanos únicos, precisávamos passar exatamente pelos erros que passamos para adquirir experiência para realizarmos aquilo a que estávamos predestinados a realizar. Começamos olhar nossos fracassos e erros com mais compreensão, carinho e amor. Começamos a nos perdoar. É válido lembrar das palavras de Hol Prince, famoso produtor da Broadway: "Qualquer pessoa que nunca tenha tido um fracasso é um amador."

Enfim, quando entendemos que só crescemos diante das dificuldades e que os erros do ontem são os alicerces dos acertos do hoje começamos a entender a vida olhando para trás e passamos a viver para frente. Nesse momento a vida deixa de ser uma obrigação para se tornar uma viagem.

Se o seu amigo usa e você não fala nada, que droga de amigo é você?

Se você optou por não usar drogas, sorte sua. Mas se algum amigo seu tomou a decisão errada, a sorte dele pode depender de outras pessoas. Inclusive de você. Muitos jovens vêem seus melhores amigos indo em direção a um beco sem saída e não fazem nada para ajudá-los. Na maioria das vezes, esta passividade tem a mesma explicação: medo de parecer careta.

Careta mesmo é rotular as pessoas. Escolher não usar drogas significa que você tem auto-estima, segurança e gosta de viver. Óbvio, não há nada de errado com isso. Como também não há nada de errado em querer ajudar alguém de que você gosta.

Raramente o drogado admite estar com problemas. Uma pessoa que usa drogas tem dificuldades de enxergar com clareza o tamanho da encrenca em que se meteu. Dependendo da droga, o processo de desintoxicação pode ser muito dolorido. O tratamento é longo, caro e sempre existe o risco de uma recaída depois da recuperação.

A falta de informação também é um dos motivos que levam as pessoas a experimentar drogas. Só quem sabe a extensão real dos prejuízos que cada tipo de droga provoca no organismo, pode pesar as conseqüências e decidir se vale ou não a pena correr este risco.

Leia as informações a seguir com muita atenção. E depois mostre para os seus amigos.

 

Cocaína e Crack

Provocam sensação de poder euforia, perda do sono e do cansaço. Em doses elevadas, causam aumento da temperatura, convulsões e aumento dos batimentos cardíacos, podendo resultar em parada cardíaca, respiratória e colapso do sistema nervoso central.

O Crack pode provocar lesões cerebrais irreversíveis. É também uma das drogas de maior poder viciante. Ele leva apenas 15 segundos para chegar ao cérebro e, 15 minutos depois, o usuário já sente necessidade de inalar novamente a fumaça, para fugir dos efeitos da síndrome de abstinência: desgaste físico, prostração e depressão profunda.

 

Ácido (LSD)

Causa alucinações, distorções preceptivas, fusão dos sentidos (o som parece adquirir forma). As reações dependem da personalidade e da sensibilidade de cada um.

Em alguns casos, podem ocorrer as "más viagens": ansiedade, pânico, mania de perseguição, sensação de deformação do próprio corpo e de morte iminente. Pode causar delírios, convulsões e dependência psicológica.

 

Maconha

Sensação de calma, relaxamento, vontade de rir. Produz dependência psicológica. O uso prolongado pode afetar os pulmões, a memória e, temporariamente, a libido e a produção de óvulos e espermatozóides. Diminui a capacidade de concentração. Fumar maconha de forma sistemática, principalmente na adolescência, acarreta má performance na escola e diminui as possibilidades profissionais na vida adulta.

 

2 comentários:

Márcio Lima disse...

É certo que os amigos desempenham um papel importante na formação do individuo, mas a decisão de tomar um rumo na vida é particular. Todos sabemos que usar drogas não vale a pena, mas se a pessoa resolve trilhar por essa vereda não há muito o que fazer a não ser esperar que ela volte para o caminho certo e que se recupere...

Walter Bitencourt disse...

Eu não sei se voce já ouvir falar da "Sídrome de Adão" que é passar uma responsabilidade que é minha para terceiros. Um Exemplo disso, existe no meu coração o desejo de cheirar coca, mas eu preciso de alguém para me convidar e culpa-lo pelo meu ato.
Entendo que só se chama atenção de outro, isto é, aconselha, quando se ama, quando não queremos que a pessoa enverede por caminhos tortos; quem não ama, não esta nem ai.