Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Vai passar, meu bem...




Ver um filho sofrer por alguma decepção é normal e faz parte da vida. Aprenda a enfrentar essa situação - boa para o crescimento dele! - sem entrar em crise. 

Ver o rostinho triste do seu filho depois de uma frustração dói demais, não é mesmo? Mas isso é saudável, necessário para que a criança e o jovem se desenvolvam emocionalmente, são as perdas necessárias para nossa evolução. “Os pais querem proteger os filhos, mas a proteção em excesso pode prejudicar as crianças na hora de lidar com situações difíceis da vida”, alerta Luciane Slonka, psicóloga do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Ver o filho sofrer e não poder fazer nada é duro, todos nós, pais já vivemos situações conflitantes como essa. 

Então, veja algumas soluções para ajudar seu filho a superar as decepções típicas da infância e da adolescência. 

Saiba o que fazer quando ele... 

Perde um jogo de futebol importante na escola 
Na hora de torcer pela vitória  do seu filho, não há dúvidas de que você é a primeira a incentivá-lo. Afinal, ninguém é mais fã dele do que você. Mas quando ele perde, lá vem a decepção. É importante mostrar que você não está frustrada com isso. O melhor a fazer é estimulá-lo a falar e saber escutar como ele se sentiu com a derrota. Mostre que você se importa, mas não deixe de ensinar que perder faz parte da vida. Ele vai se tornar um adulto mais tolerante consigo mesmo. 

Briga com um amiguinho 
Do mesmo modo que você tem problemas no seu trabalho, seu filho tem na escola. “A escola é como a profissão da criança — tudo que acontece lá se torna um problema grande para ela”, afirma Luciane Slonka. Nunca fale que é bobagem: ele vai se sentir menosprezado. Não coloque a culpa só no amigo, e ajude seu filho a refletir sobre o que ele fez para que essa briga acontecesse. Incentive a criança a perdoar e falar com o amigo no dia seguinte. Com essa atitude, ele saberá administrar possíveis desentendimentos no futuro. 

Se decepciona com você 
É natural que os filhos se decepcionem com os pais - isso faz parte do aprendizado deles. Afinal, os pais são seres humanos e também erram. É claro que dói saber que você frustrou quem você mais ama, mas não queira se mostrar a supermulher. Converse com ele, deixe que ele exponha as  próprias mágoas e não seja autoritária. Se você ensinar que pode aceitar críticas, ele vai se sentir menos cobrado para ser perfeito. 

Leva um fora da menina amada 
“Como assim ela não gosta do meu filho?”, é a primeira coisa que passa pela cabeça de qualquer mãe. Mas acredite: cedo ou tarde, seu filho vai sofrer por amor. O que você precisa fazer é escutar, sem ficar falando mal da menina (ou menino). Se ele for adolescente, talvez não queira falar. Por mais que você o ame, não vai ser a melhor conselheira em todas as horas, para todos os problemas. É normal ele querer falar com os amigos nessa fase. Então, não se sinta mal se ele rejeitar sua ajuda. No entanto, mostre que mesmo assim estará ali sempre que ele precisar. 

Não passa de ano (ou no vestibular) 
Com a criança, é necessário falar com delicadeza. Mas deixe claro o quanto é importante que ela se esforce no próximo ano. Já o adolescente está numa fase de muitas cobranças. “Não faça pressão demais e saia com ele para ter momentos de lazer. Assim, ele vai se sentir mais confiante para se abrir com você”, aconselha a psicóloga. Paciência e tolerância são armas preciosas nesses momentos. 


Fuja destes erros 

Os conselhos que damos aos nossos filhos são sempre tentativas de acertar, não é? Mas mãe também é humana — e erra. Veja os enganos mais comuns e evite-os: 

- A MENTIRA
Se algum parente morrer, conte a verdade. “Usar a história da estrelinha que foi para o céu ou virou anjinho é saudável, um jeito bonito de falar da morte para a criança”, diz Luciane Slonka. Se ela não souber por você, vai descobrir por outros meios. 

- A PROJEÇÃO 
Não sustente grandes expectativas com relação aos filhos. Cuidado com comentários como “Meu filho vai ser fera no futebol” ou “Ela vai ser a melhor bailarina”. Será que é isso mesmo que eles querem? Descubra a identidade de seu filho e aprenda a respeitá-lo. 

- A CONTRADIÇÃO 
Esqueça a história de “Faça o que eu digo, não faça o que eu faço”. Você é um exemplo na sua casa. Portanto, aja com seu filho como você quer que ele seja quando crescer.

3 comentários:

João Alberto disse...

Ótimo texto. Bons conselhos sempre são bem vindos.

Darcy Mendes disse...

Ótimas dicas. Ainda não passei por isso, mas ver nosso filhos tristes acaba nos deixando com um aperto no coração e a vontade de pegá-los no colo e acariciá-los. Nem sempre isso é possível. Por isso mesmo é bom estar preparado e suas dicas podem ajudar muito nessas horas.

CCMaia disse...

Fiz um comentário enorme (sou famosa por isso), mas como n cabe, direi apenas q adorei seu blog, adorei seus temas (ainda estou lendo) e admiro mt sua profissão. Tem sido uma leitura proveitosa. Obrigada.

Se vc me der seu @mail, e estiver interessada envio o comentário. Bj.