Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Por que os homens mentem?

"VOCÊ ACHA OUE EU FICO GORDA COM ESTA ROUPA?"

O novo homem da sua vida jura que está tudo acabado com a ex, mas você sabe que ele tem um retrato dela na gaveta do escritório. Seu instinto feminino lhe diz que alguma coisa está errada, mas você não sabe dizer o que é.

Sua namorada ligou na última hora cancelando o encontro com você e arranjando uma desculpa que lhe pareceu esfarrapada. Você desconfia. Você estaria sendo enganado?
Mentira: substantivo, ação pela qual uma pessoa se propõe a enganar deliberadamente outra pessoa.

Quem mente?

Todo mundo mente. A maioria das mentiras ocorrem nos primeiros encontros, quando todos querem se apresentar da melhor maneira. A maioria das mentiras que contamos são Mentiras Brandas, aquelas que existem para que possamos viver jun- tos sem violência ou agressão, já que muitas vezes preferimos a sutil distorção dos fatos à verdade nua e crua. Se você tem um nariz grande demais, não quer ouvir a verdade sobre ele  prefere ouvir que ele lhe dá personalidade, que ninguém repara nele ou que ele tem um tamanho adequado ao seu rosto.


Diga sempre a verdade - depois saia correndo.
 
PROVÉRBIO

 

Se você tivesse dito a estrita verdade a todas as pessoas com quem interagiu na última semana, o que teria acontecido? Se dissesse as exatas palavras que passam por sua cabeça, como reagiriam as pessoas? Uma coisa é certa: você seria considerado uma pessoa insuportável, provavelmente não teria mais nenhum amigo e possivelmente estaria desempregado. Imagine as seguintes situações:
"Oi, Maria. Como os seus seios estão caídos. Por que não Poe um sutiã novo ou procura um cirurgião plástico?"
"Oi,Adam. Você está precisando ver a razão do seu mau hálito e por que não corta esses pêlos do nariz?" 
"Esta reunião que você organizou está chatíssima. Não há uma só pessoa interessante e a cerveja está quente." 

Quando foi a última vez que você mentiu? Bem, talvez você não tenha propriamente mentido, mas deixado de dizer ou contar alguma coisa que teria causado sofrimento à pessoa. Talvez você tenha exagerado um pouco ao preencher um formulário de pedido de empréstimo ou de solicitação de emprego para se apresentar da melhor maneira.
Quando você vendeu o carro, talvez tenha deixado de mencionar aquele vazamento de óleo do motor ao falar das excelentes condições em que ele se encontrava. Quando anunciou a casa para vender, você deixou de mencionar que a vizinha cria gatos e que às vezes o mau cheiro é insuportável. Talvez você não tenha contado ao marido que encontrou um antigo namorado e que seu coração disparou. Ou que o grupo de amigos com quem ia almoçar acabou se reduzindo à morena vistosa que trabalha no escritório ao lado. Por acaso você não ocultou dos outros a lipo que fez ou a prótese que colocou para modelar o corpo? Alguma vez não mentiu a respeito de seu peso e sua idade? A lista das pequenas e grandes mentiras é interminável. Todos mentimos constantemente uns para os outros. Os pais mentem para os filhos a respeito de sexo e os adolescentes mentem para os pais a respeito de fazer sexo. Dê o nome que quiser  são todas mentiras.


Só os inimigos dizem a verdade.
Amigos e amantes, apanhados na teia da obrigação, mentem sem parar.
STEPHEN KING


Nós mentimos por duas razões; obter um ganho ou evitar uma dor. Felizmente, a maioria das pessoas sente culpa, remorso ou desconforto quando mente, e isso não é muito fácil de esconder, o que torna possível a uma pessoa saber se o outro está falando a verdade, ou se está mentindo. Com um pouco de prática se reconhecem os sinais comportamentais da mentira e se aprende a decodificá-los.


Estudo de caso: Sheelagh e Dennis

Sheelagh foi convidada por Dennis para jantar na casa dele e resolveu caprichar para impressioná-lo. Foi ao cabeleireiro fazer luzes no cabelo, maquiou-se cuidadosamente, escolheu um vestido sexy, calçou sapatos de salto alto, pôs um par de longos brincos e um pouco de perfume francês atrás das orelhas. Quando chegou, ficou impressionada com a forma como Dennis arrumara o cenário para a noite: meia-luz, uma suave música de fundo e lareira acesa. Ao entrar na sala de jantar, ele a presenteou com um belo ramo de flores e conduziu-a até a mesa, iluminada com velas, onde lhe serviu uma taça de champanhe. Ao sentar-se, gloriosa, ela percebeu que ele estava usando a loção de barba que ela lhe dissera que gostava. Todos os seus sentidos - visão, audição, tato e olfato - estavam excitados no mais alto grau. Ficaram conversando um pouco sobre o trabalho dela e os acontecimentos do dia. Dennis ouvia atentamente, sorrindo, olhando-a nos olhos e incentivando-a a falar. Sheelagh se sentia completamente arrebatada por esse homem atencioso e sensível - tão diferente dos outros que ela conhecera. E supôs que ele sentia exatamente o mesmo em relação a ela.
Em linguagem educada, este cenário é chamado de um romântico jantar à luz de velas. Mas na realidade trata-se de uma completa fabricação de meias mentiras dos dois lados para tentar obter vantagens pessoais. Champanhe, meia-luz e música suave não faziam parte normalmente do estilo de vida de Dennis e o tema usual de sua conversa era esporte. Toda essa montagem era um refinado ardil. Dennis queria sexo. Sexo livre, sem inibições. E tinha experiência suficiente para saber que montando o cenário do jeito que montara, a chance dê obter de Sheelagh o que queria seria muito maior.
Sheelagh, por sua vez, se enfeitou, se armou e comportou- se pensando apenas em estimular a parte sexual do cérebro de Dennis, elevar-lhe o nível de testosterona. Mas pode-se dizer que tudo o que disseram e fizeram naquela noite foi em busca de benefício pessoal. A noite toda, em resumo, foi baseada em mentiras e enganos. Mas se fossem confrontados com essa verdade elementar, ambos negariam, é claro, e veementemente.

As pesquisas mostram que 30-40% dos pacientes obtêm alívio com placebos


Tipos de mentiras

Existem quatro tipos básicos de mentiras - a Mentira Branda, a Mentira Benéfica, a Mentira Maliciosa e a Mentira Dolosa. C mo já dissemos, a Mentira Branda faz parte de nosso tecido social e nos impede de nos ferirmos e insultarmos uns aos outros com a verdade dura, fria e dolorosa. A Mentira Benéfica é usada pelas pessoas com a intenção de ajudar. É o caso do fazendeiro alemão que escondia judeus dos nazistas e o negava para as autoridades. Ele estava mentindo heroicamente. O bombeiro que resgata uma criança de uma casa em chamas e mente para ela dizendo que seus pais estão bem está protegendo-a por algum tempo de sofrer um trauma ainda maior. O médico que mente ao paciente no leito de morte para elevar-lhe o ânimo, ou que lhe receita medicamentos inócuos - placebos - tecnicamente está mentindo.

A mentira dolosa é a mais perigosa, porque a intenção do mentiroso nesse caso é ferir ou tirar vantagem da vítima em benefício próprio. Uma conhecida nossa, Gerri, era mãe solteira, saía pouco, e quando conheceu um homem que lhe pareceu terno, sensível, inteligente, divertido e que se interessou por ela, ficou encantada. Ao contar para sua amiga Margie que estava saindo com aquele homem, ouviu, desolada, que ele era um notório conquistador, uma pessoa em quem não se podia confiar. Gerri passou então a evitá-lo. Um mês depois, ela dá de cara com ele no shopping center do bairro - abraçado com a sorri- dente Margie.
A mentira dolosa tem duas formas principais: ocultação e falsificação. Na ocultação, o mentiroso não conta propriamente uma mentira, ele sonega informação. Digamos, por exemplo, que Gerri acabasse descobrindo, através de outra amiga, que, de fato, esse homem enganara uma ex-namorada, fazendo-a avalista de um empréstimo e dando-lhe o calote. Ninguém poderia culpar Gerri por não avisar Margie, pois Margie talvez não acreditasse; mas se Gerri tomasse a decisão de não alertá-la seria também culpada de mentir, desta vez por uma ato de ocultação. Na falsificação, uma informação inverídica é apresentada como verdadeira. Margie deu a Gerri informações falsas sobre o caráter de um homem, visando tirá-lo da rival. Este tipo de mentira é um ato intencional, jamais um acidente.
Mentiras maliciosas são motivadas por vingança ou para obter vantagens. Pessoas em evidência como atores, ricaços e políticos são os principais alvos das mentiras maliciosas. Os jornalistas que oferecem as histórias aos jornais e revistas sensacionalistas, mesmo sabendo que são inverídicas, também se beneficiam tanto quanto os rivais das pessoas atingidas no mundo artístico, dos negócios e da política.


A mentira maliciosa e a dolos a costumam ser usadas como armas em situações competitivas. Pessoas que as inventam pretendem destruir o caráter e a reputação de suas vítimas, com resultados que podem ser arrasadores e duradouros.
Uma empresa, por exemplo, pode espalhar a falsa informação de que sua principal concorrente está em dificuldades financeiras. De modo similar, não é incomum um político divulgar rumores de que um adversário seu tem um comportamento sexual impróprio. Um casal teve a sua escola e sua reputação destruídas porque se espalhou o boato de que molestavam sexualmente os alunos. Quando a verdade foi restabelecida, era tarde, porque o dano fora enorme.

Tipos de mentirosos

"Mentirosos naturais" são pessoas que têm plena consciência e confiança em sua capacidade de enganar, e o fazem desde pequenos. Em geral, foram os próprios pais que lhes ensinaram a mentir, para evitar as terríveis punições que seriam aplicadas se dissessem a verdade. Muitos mentirosos naturais tiram partido dessa capacidade na idade adulta tornando-se advogados criminais, vendedores, negociantes, atores, políticos e espiões.
O "mentiroso não-natural" é a pessoa que, quando criança, foi convencida pelos pais de que era impossível mentir, porque se- ria fatalmente descoberta. Essas pobres criaturas passam a vida dizendo indiscriminadamente a verdade a respeito de tudo, repetindo que "eu nunca mentiria", irritando, ofendendo e criando problemas para todas as pessoas que conhecem.

A verdade vai libertá-lo, mas primeiro ela vai ferrar você.
                                                                 
MAL PANCOAST


 

Um dos mentirosos mais perigosos que uma mulher pode encontrar pelo caminho é o Romântico. Quando um Mentiroso Romântico entra em ação, a mulher geralmente não faz a menor idéia do que está acontecendo. Alguns Mentirosos Românticos são especialistas em esconder que são casados, enquanto outros são mestres em posar de advogados, médicos e homens de negócios bem-sucedidos para angariar respeito e interesse sexual. Para esses mentirosos, o único limite é a própria imaginação. Em conseqüência, eles podem causar às mulheres enormes danos emocionais, psicológicos e financeiros. O objetivo mais comum do Mentiroso Romântico é arrancar dinheiro, sexo e outros benefícios da mulher, fingindo dar em troca amor e emoção. Os consultórios dos terapeutas estão cheios de mulheres inteligentes e cheias de recursos vítimas de um Mentiroso Romântico. Algumas reincidem neste tipo de experiência, parecendo nada aprender com o que sofreram. O dano emocional e a perda de auto-estima costumam superar em muito as perdas materiais nesses casos e podem deixar a mulher emocionalmente marcada: dificilmente ela voltará a acreditar em algum homem.
Mentirosos Românticos podem aparecer em qualquer lugar e se dão bem nos bate-papos da Internet, onde a maioria das pessoas mente e qualquer coisa vale. Mesmo mulheres inteligentes se deixam enganar por um Mentiroso Romântico, pois o seu maior talento é a capacidade de viver uma mentira plausível tempo suficiente para que a sua vítima se apaixone. Ela fica cega para as mentiras ou as nega, mesmo quando são evidentes para parentes e amigos.

 


As pessoas dizem gostar da verdade, mas o que elas querem mesmo é acreditar que gostam da verdade.



Se você dirigisse o departamento de pessoal de uma grande empresa, iria querer saber o máximo possível sobre uma pessoa que se candidatasse a um posto de confiança, não é verdade? Por que não fazer o mesmo com um candidato a parceiro? O conselho aqui é: verifique sempre o histórico de qualquer produto que você pretenda conservar por muito tempo. Pode ser doloroso descobrir seus defeitos, mas vai poupar-lhe um sofrimento muitíssimo maior a longo prazo.


Quem mente mais?

A maioria das mulheres há de afirmar categoricamente que os homens mentem muito mais freqüente ente do que elas. Estudos e experiências científicas mostram, porém, que homens e mulheres mentem em igual propor o. O que varia é o conteúdo da mentira. As mulheres, de m do geral, tendem a mentir para fazer com que os outros se sintam melhor, e os homens para se fazer de bons. As mulheres mentem para manter o relacionamento a salvo e têm muita dificuldade em mentir sobre os seus sentimentos. Os homens mentem para evitar discussões e para se afirmar. Num caso extremo, um homem é capaz de dizer que é vice-diretor de distribuição de uma multinacional de alimentos quando na verdade tem um negócio de entregas de pizza a domicílio.


A
mulher mente para fazer o homem se sentir bem.
 
O homem mente para se fazer de bom.


Esta é a principal diferença entre mentiras masculinas e femininas. A mulher mente dizendo que determinada roupa ficou maravilhosa em alguém, mesmo achando que a pessoa ficou parecendo um saco de batatas. Nas mesmas circunstâncias, o homem se afasta para não ter de mentir, e só o fará se for forçado a emitir sua opinião. Ele dirá que a roupa é "interessante", dirá uma mentira indireta como "Eu não sei o que dizer", ou mentirá simplesmente dizendo que adorou. E nesses casos, quando o homem mente, a maioria das mulheres sabe muito bem que ele está mentindo.



A principal pergunta dos homens que faz as mulheres mentirem é:
 "Que tal, foi bom?"



A forma de mentira mais comum é o auto-engano, como fumar dois maços de cigarro por dia repetindo que não é viciado e pode parar quando quiser, ou convencer-se de que uma sobremesa calórica não prejudica o regime.
As evidências são claras - as mulheres mentem tanto quanto os homens, mas mentem diferente. Devido à exacerbada percepção feminina para a linguagem corporal e os signos vocais, os homens são apanhados com muito mais freqüência, o que deixa a impressão de que mentem mais. Eles não mentem mais. Eles apenas continuam sendo apanhados.


Mentiras comuns que os homens contam às mulheres

"Eu não estou bêbado" é uma mentira fácil de pegar, sobretudo porque geralmente soa "Eooo num xtô bêbadu". Não há nenhuma razão para uma pessoa dizer que não está bêbada - exceto estar realmente bêbada.
"De uma vez por todas, eu nunca transei com essa mulher." O homem que traiu mentirá a respeito até muito além de qualquer evidência porque, na sua cabeça, não tem nada a ganhar dizendo a verdade. Chegará mesmo a ficar agressivo, como se estivesse profundamente ofendido, para defender-se da acusação da mulher.
"O sexo com minha ex era uma droga." Sexo é uma das constantes da vida do homem - ele é sempre bom, não importa onde nem quando. Se um homem diz que o sexo com a ex era uma droga, é muitíssimo provável que ele esteja mentindo. E se diz que sexo com a ex era melhor do que com você, está mentindo também, provavelmente para lhe deixar irada.
"Ela só é minha amiga. Que mal há nisso?" Ele diz que ela é amiga de infância e que não tem nenhum outro interesse nela.
Mas a mantém longe de você e não a deixa conhecê-la. Outras variantes incluem: "Ela é lésbica; ela só está precisando de um amigo para conversar; ela está passando por uma situação difícil e eu quero ajudar; ela está doente e quer que eu vá visitá-la; ela não sente nada por mim; ela precisa me contar uma coisa muito confidencial, por isso não quero que você vá almoçar conosco."

 
Por que as mentiras não colam?

A maioria das mentiras pode ser detectada porque, em geral, envolvem emoções que piscam como luzes vermelhas verbais ou visuais. Quanto maio a mentira e quanto mais emoções envolvidas, mais pistas serão deixadas pelo mentiroso. Tentar disfarçar essas pistas cria um problema emocional para a maioria de nós. Quanto mais próximo de uma pessoa, mais difícil é mentir para ela por causa das emoções em jogo. Um marido tem dificuldade de mentir para a mulher se ele realmente a ama, mas não terá a menor dificuldade de mentir para o inimigo se for capturado na guerra. Aqui está a chave para o mentiroso patológico: ele não tem ligação emocional com ninguém, portanto, toda mentira é fácil.
Se você enxerga ou não essas pistas, é outro problema.


Por que as mulheres são tão boas em pegar mentiras? 

A maioria dos homens sabe como é difícil contar até mesmo uma pequena mentira para uma mulher, cara a cara, sem ser apanhado. Se o homem quer mentir para a mulher, é melhor que o faça pelo telefone. A maioria das mulheres tem menos dificuldade de mentir na cara do homem - em geral elas conseguem se dar bem.
Exames de ressonância magnética cerebral revelam que a mulher tem de 14 a 16 pontos-chaves nos dois hemisférios quando se comunica cara a cara. Esses pontos são usados para decodificar palavras, sinais corporais e mudanças no tom de voz, e respondem em larga medida por aquilo que é conhecido como "intuição feminina". O homem tem, em média, de 4 a 7 desses pontos, porque o seu cérebro desenvolveu-se mais para tarefas espaciais do que para a comunicação.
A "hipersensibilidade" feminina tem dois propósitos: defender seu território contra estranhos e comunicar-se com os filhos. A mulher precisa ter capacidade de olhar para a sua ninhada e identificar imediatamente a dor, o medo, a fome, a doença, a tristeza e a alegria. Precisa ser capaz de avaliar rapidamente a atitude das pessoas que se aproximam de seu ninho - se amistosa ou agressiva. Sem essas técnicas de sobrevivência, ela fica vulnerável, corre perigo. Pelas mesmas razões, a mulher é capaz de ler as emoções dos animais. Ela sabe dizer se um cachorro está feliz, triste, zangado ou constrangido. A maioria dos homens nem imagina que cara tem um cão constrangido. O objetivo do homem caçador sempre foi atingir o seu alvo com precisão e não conversar com ele, aconselhá-lo ou tentar compreendê-lo.



O homem precisa atingir o seu alvo com precisão e não ter com ele uma conversa profunda e cheia de significado.

 

Como já dissemos, o cérebro da mulher está organizado em múltiplas trilhas, de modo que ela pode lidar com várias informações ao mesmo tempo. Isso lhe dá a vantagem adicional de saber ler os sinais corporais e ouvir o que está sendo dito enquanto fala. O homem, com seu cérebro de trilha única, recebe uma informação de cada vez e deixa passar, portanto, muitos sinais corporais.
Os agentes do FBl aprendem a analisar "micro-expressões" - as expressões sutis, fugazes, com duração de uma fração de segundo, das pessoas que estão mentindo. Para isso utilizam a câmara lenta. Observou-se, por exemplo, que Bill Clinton franzia o cenho durante uma fração de segundo antes de responder qualquer pergunta sobre Monica Lewinsky. O cérebro da mulher está programado para ler esses sinais quando eles acontecem, o que explica não apenas por que elas são muito mais difíceis de enganar, mas também por que se revelam muitas vezes negociadoras mais perceptivas que os homens.


Por que as mulheres sempre lembram?

Erik Everhart, professor assistente de psicologia da East Carolina University, e seus colegas da State University of New York, em Buffalo, descobriram que meninos e meninas dos 8 aos 11 anos de idade usam partes diferentes de seus cérebros para identificar rostos e expressões Os meninos usam mais o lado direito, e as meninas, mais o lado esquerdo. Descobriram que essa diferença ajuda as menina a detectarem mudanças sutis das expressões faciais, tornando-as mais aptas a perceber o estado de ânimo das pessoas. Ler a boca e olhos de alguém exige uma análise mais refinada do que julgar as emoções do rosto inteiro. As mulheres são muito boas em lembrar qual foi a mentira que contaram e a quem contaram, ao passo que os homens geralmente esquecem suas mentiras. O hipocampo - a parte do cérebro usada na linguagem e no armazenamento e recuperação da memória - está cheio de receptores de estrogênio e cresce mais rapidamente nas meninas do que nos meninos, dando às mulheres maior capacidade de recuperação de lembranças de assuntos carregados de emoção.

Conselho aos homens
Não perca tempo contando uma mentira para uma mulher cara a cara. É muito difícil. Se for mesmo preciso, telefone para ela ou envie-lhe um e-mail. As mulheres não apenas têm maior capacidade de descobrir mentiras como têm maior capacidade de guardá-las como munição para discussões futuras.



"Eu posso me encrencar por uma coisa que não fiz?'; perguntou o aluno.
 "Não'; respondeu
o diretor.
 "Ótimo, porque não fiz
o dever de casa."


A pesquisa apurou que 83% dos secundaristas e 61% dos universitários mentiram para os pais durante o ano anterior. Os pesquisadores descobriram que a desonestidade e outros comportamentos antiéticos eram menos freqüentes entre pessoas de mais de 30 anos e que os dois sexos mentiam em igual proporção. O mais perturbador foi que 73% dos pesquisados na faixa de 15 a 30 anos disseram acreditar que "a maioria das pessoas enganam ou mentem quando é necessário para conseguir o que querem". Com base nesse estudo, se poderia dizer que os americanos são um bando de mentirosos e fraudadores, mas estudos semelhantes realizados em todo o Ocidente mostram a mesma tendência.
Infelizmente, isso são sintomas de uma grande crise moral que grassa em todas as sociedades, sintomas que refletem uma real
mudança de valores nessas sociedades. Os filhos ouvem dos pais que a honestidade é a melhor virtude, mas os vêem subornar o guarda de trânsito, adular pessoas de que não gostam, dar desculpas mentirosas para justificar uma falta ou cancelar um compromisso. É diferente do que serem instruídos para fingir que gostaram dos presentes que ganharam ou darem um beijo na tia chata que vai visitá-los. Nesses casos, trata-se de um dever de gentileza e de mera educação.
O pai se aproxima dos que discutem acaloradamente ao lado de um cachorrinho.
"Qual é a razão da briga?", pergunta o pai.
"Estamos fazendo um concurso", respondem os meninos. "Quem contar a maior mentira ganha o cachorro."
"Que coisa feia!", reage o pai. "Eu nunca menti!"
Os meninos se põem a chorar, desolados: "Papai, você ganhou o cachorro!" 

As mensagens ambíguas sobre a mentira que as crianças recebem têm grande impacto sobre o seu comportamento quando crescem. A maioria dos pais não percebe, por exemplo, que a severidade das punições é um dos maiores estímulos à mentira e uma das principais razões de as crianças crescerem como contumazes mentirosos. Boa parte dos padrões comportamentais mentirosos se fixa durante a infância e a juventude, e na idade adulta são acionados por figuras de autoridade.


Quando todos os seus conhecidos mentem para você

Há quem acredite que não se deve confiar em ninguém e que o mundo está cheio de mentirosos. As pessoas acham isso por duas razões: primeiro, como elas próprias são mentirosas habituais, assumem que todas as outras pessoas também são. A segunda razão, mais provável, é de que o comportamento dessas pessoas faz com que os outros mintam para elas. Quando alguém reage ao que se diz de maneira agressiva e emocional, praticamente obriga os outros a mentir. Se as pessoas sabem que você fica irado, excessivamente magoado ou vingativo quando ouve a verdade, vão evitar dizê-Ia a todo custo. Se você é uma pessoa que se ofende com facilidade, nunca saberá o que os ou- tros estão realmente pensando ou sentindo a seu respeito, porque eles vão distorcer a verdade para evitar a sua reação. Se você pede às crianças que lhe digam a verdade e depois as pune porque a verdade não está de acordo com sua expectativa, as está ensinando a mentir para se protegerem.


Por que as mentiras de amigos e familiares doem mais

Quanto mais íntimo o relacionamento, mais sofrimento lhe causará uma mentira, porque o sentimento de traição é mais pro- fundo e você não quer eliminar essa pessoa da sua vida. Uma mentira dolosa contada pelo marido, mulher, pai, mãe, irmão ou irmã fere mais fundo porque, quanto mais próxima a pessoa, mais confiança depositamos nela, mais nos abrimos para ela. Uma mentira contada por um irmão, irmã ou filho fere mais do que a contada por um conhecido, mas tende a ser perdoada, porque a pessoa não deixará de ser nosso irmão, irmã ou filho. A mentira de um amigo íntimo também fere, mas essa pessoa pode ser eliminada de nossa vida, ao menos por um tempo, simplesmente deixando de procurá-la. No outro extremo, como sabemos que, em princípio, o vendedor de carros usados irá mentir para nós, não nos surpreendemos com isso e podemos optar por não vê-lo nunca mais.


Pistas para desmascarar o mentiroso

Como as pessoas se sentem desconfortáveis com a mentira, elas instintivamente procuram se distanciar delas. O FBl descobriu recentemente esta valiosa pista, analisando as palavras de suspeitos que apresentavam álibis falsos. Os mentirosos deixavam fora de suas mentiras as referências a eles mesmos e evitavam usar a palavra "eu". Considere o exemplo de uma pessoa que combina se encontrar com você e não aparece. Se mais tarde ela o procura e diz "Meu carro quebrou e o celular estava sem bateria", você desconfia mais instintivamente do que se ela dissesse "Meu carro quebrou e eu não pude ligar para você porque a bateria do celular estava fraca". Os mentirosos evitam também usar o nome da pessoa envolvida na mentira. Eles preferem dizer "Eu não transei com essa mulher" do que "Eu não transei com a Mônica".


Mentirosos não hesitam

Pergunte a uma pessoa o que ela fez no último fim de semana e ela provavelmente vai pensar um pouco antes de dizer algo como: "Ah... eu i na casa do meu irmão depois de tomar café e depois... aah .. não, eu vi meu irmão depois do almoço, por- que antes tive de ir pegar meu carro na oficina..."
Ao recordar os acontecimentos do dia, as pessoas geralmente se interrompem e mudam de direção para tentar colocar as coisas na ordem certa.
Mas o mentiroso habitual não hesita nem se esquece. Ele ensaiou sua mentira na cabeça muitas vezes e em geral é capaz de um desempenho sem erros. Seu scrípt é perfeitamente decorado e raramente ele se engana.


Quem faz uma vez faz duas

Se você acha que uma pessoa está mentindo, aja como se acreditasse em cada palavra. No final ela vai se trair por excesso de confiança no próprio desempenho. Peça ao mentiroso para repetir aquilo que você acha ser uma mentira. Bons mentirosos são capazes de dar uma segunda versão idêntica. Conceda então uma pausa ao suspeito para deixá-lo pensar que se safou, depois peça-lhe que repita uma terceira vez. Como ele não espera mais este repeteco e está relaxado, geralmente a terceira resposta não é exata e a história parece um pouco diferente. Além disso, devido ao estresse associado à mentira, a voz do mentiroso fica mais aguda.


Como ler as entrelinhas do que é dito 

Você já conversou com uma pessoa que parece menos convincente à medida que fala? Examinemos algumas palavras e frases comuns, indicativas de que a pessoa pode estar tentando camuflar a verdade ou convencer você de uma emoção que ela não sente. As palavras "honestamente", "sinceramente" e "francamente" indicam que o orador deve ser consideravelmente menos franco, honesto e sincero do que afirma e podem ser sinal de que ele está mentindo. Por exemplo: "Francamente, isso é o melhor que eu posso lhe oferecer" se traduz às vezes como "Talvez não seja o melhor que eu tenha para lhe oferecer, mas quem sabe você acredita?". "Eu te amo" é mais fácil de acreditar do que "Sinceramente, eu te amo!". "Sem dúvida" dá motivo para duvidar e "Sem sombra de dúvida" é definitivamente um sinal de alerta.
"Acredite no que eu estou lhe dizendo" pode significar "Se eu conseguir fazer você acreditar em mim, você fará o que eu quero". A força com que a pessoa que diz "Acredite em mim" tenta convencer o outro é proporcional ao tamanho do engodo. Ao sentir que você não está acreditando nele, ou que o que ele está dizendo não é digno de crédito, o orador introduz a sua observação com um "Acredite em mim". "Eu não estou brincando" e "Eu iria mentir para você?" são outras versões.
Quem está sendo honesto, franco, confiável e digno de crédito não precisa convencer o outro disso. No entanto, algumas pessoas honestas têm o hábito de usar repetidamente essas palavras. Fazem isso inconscientemente ao introduzir uma declaração verdadeira, que passa a soar falsa. Preste atenção em seu discurso para ver se você usa freqüentemente essas palavras e, em caso positivo, procure eliminá-las para não correr o risco de gerar desconfiança.
"Está entendendo?" ou "Você compreende?" no fim da frase são manias irritantes, porque dão a impressão de que o ouvinte é incapaz, além de obrigá-lo a responder "Estou" a cada interpelação. Há pessoas que exclamam "Mentira!" quando ouvem algum fato que lhes parece extraordinário, sem querer dizer com isso que não acreditam no que está sendo narrado. Mas nem sempre quem contou entende assim. Uma amiga minha foi ex- pulsa da sala de aula na faculdade ao reagir com um "Mentira!" à afirmação do professor de ciências religiosas de que havia mais de mil santuários onde a Virgem Maria operava milagres. Ela se defendeu, dizendo que estava apenas expressando espanto, mas no fundo achava mesmo que era mentira.

"Só" e "apenas"

Os termos "só" apenas" são usados para minimizar o significado das palavras que vêm em seguida, para aliviar a culpa do orador ou p ra culpar o outro por alguma conseqüência desagradável. "Só vou tomar cinco minutos do seu tempo" é usado por quem vai alugar você durante uma hora inteira. Se a pessoa diz "Você me dá cinco minutos?" e você concorda, estabelece-se um contrato mais nítido que lhe dá a possibilidade de interromper a conversa passado o tempo estipulado. "Apenas R$ 9,95" e "Só R$ 40,00 de entrada" são usados para convencer o consumidor de que o preço cobrado é insignificante. "Eu sou apenas um ser humano" é o lema de quem não quer assumir responsabilidade por seus erros. "Eu só queria dizer que te amo" mascara a necessidade que tem o tímido apaixonado de dizer "Eu te amo". E nenhuma mulher acredita no homem que diz "Ela é só uma amiga".
Quando você ouvir alguém dizer "só" e "apenas", deve pensar no motivo pelo qual a pessoa tenta minimizar a importância do que está dizendo. Será que lhe falta confiança para afirmar o que sente? Estará tentando enganar você? Ou está querendo escapar de suas responsabilidades? É claro que não se trata de uma regra geral, mas convém prestar atenção quando ouvir "só" e "apenas". Eis aqui uma lista de expressões comumente usadas por pessoas que querem convencer de que falam a verdade, quando na  realidade querem forçar você a acreditar no que elas estão dizendo. Lembre-se, porém, que uma frase isolada não é prova de desonestidade: ela deve ser interpretada em seu contexto.
- "Confie em mim."
-"Eu não tenho nenhum motivo para mentir."
- "Falando francamente."
-"Estou lhe dizendo a verdade."
-"Por que eu iria mentir?"
- "Para ser absolutamente franco/honesto/sincero com você."
-"Você acha que eu seria capaz de fazer uma coisa dessas?"

Algumas pessoas tentam usar a organização à qual pertencem, alguma honraria recebida ou as tradições de sua família para convencer você da sua honestidade. Talvez você reconheça algumas dessas frases:
- "Não pertenço a esse tipo de pessoas."
- "Eu jamais me passaria por uma coisa dessas." 
-"Como membro de..."
Pode também ser uma questão de insegurança, mas o fato é que pessoas de caráter não precisam viver provando suas virtudes. Elas vivem os seus valores de uma forma que se torna visível e que lhes dá credibilidade. Respostas como essas são dadas quando a pessoa está se defendendo e não quer responder diretamente a uma pergunta.

 
Pegando mentirosos com o computador

Os progressos da tecnologia da computação produziram três maneiras interessantes de detectar mentirosos. O polígrafo, aparelho que mede a respiração, o pulso e o volume relativo do sangue, é o mais conhecido detector de mentiras. Quando a pessoa está querendo enganar, a mentira é detectada por meio dos efeitos fisiológicos que se manifestam, como o aumento ou diminuição dos batimentos cardíacos, da pressão sangüínea, da respiração e da perspiração. Quando a pessoa fala a verdade, nenhuma mudança ocorre nesses indicadores. Pesquisas recentes mostram que a precisão do novo polígrafo computadorizado é próxima de 100%. Essas máquinas podem hoje ser vistas em programas de entrevistas da TV americana em que os convidados ten- tam provar a culpa, a inocência ou a fidelidade de seus parceiros. O polígrafo ainda não é aceito como prova em juízo, exceto quando determinado pelo juiz. Mentirosos experimentados demonstram menos ansiedade que os novatos e são capazes às vezes de passar no teste do polígrafo, enquanto pessoas honestas podem ficar intimidadas e acabar classificadas como menti- rosas. Há também entre as pessoas diferenças fisiológicas que podem ser fonte de erros no teste do polígrafo.

 
Prestando atenção às pistas vocais

São três as características da voz capazes de entregar o mentiroso - altura, velocidade e volume. Quando a pessoa está em situação de estresse, a tensão causa um aperto nas cordas vocais que torna a voz esganiçada e pode aumentar sua velocidade e volume. Estudos mostram que 70% das pessoas elevam o diapasão da voz quando estão mentindo. Inversamente, o mentiroso que calcula a mentira para ter certeza de sua eficácia, fala mais devagar e diminui o volume da voz. Quando uma pessoa é apanhada distorcendo a verdade, sua fala tende a ser salpicada de uhms, ahs, ers, gaguejas e pausas, porque não houve tempo suficiente para ensaiar a mentira. Isso é mais perceptível nos homens que nas mulheres, porque eles têm o cérebro menos equipado para o controle da linguagem.
Tenha sempre em mente que esses sinais não são garantias de que a pessoa está mentindo; eles mostram que ela está experimentando algum tipo de estresse. Há pessoas que mentem confortavelmente, sem exibir demasiados sinais relacionados ao estresse, e outras, como políticos e fanáticos religiosos, que, por acreditarem em suas mentiras, também não exibem sinais de fraude. Mas a maioria dos mentirosos dá muitos sinais, a maior parte do tempo.


Quando a pessoa balbucia uma resposta a uma pergunta direta, desconfie.


Interprete o conjunto

Nunca interprete um gesto isoladamente. Quando uma pessoa esfrega o olho, pode ser coceira, irritação ou cansaço. Quando se trata de mentira, em geral há pelo menos três sinais. Se uma pessoa esfrega os olhos, puxa a orelha, coça o pescoço, leva os dedos à boca ou esfrega o nariz, nada garante que esteja mentindo, mas há algo que ela não está dizendo, e é provável que esteja escondendo alguma coisa. Se ela toca no rosto várias vezes e ao mesmo tempo diz "confie em mim", "acredite em mim", "para ser honesto", é razoável supor que você esteja ouvindo uma mentira.

 

Sorriso

Homens e mulheres sorriem da mesma forma quando mentem e quando dizem a verdade. O sorriso que acompanha uma afirmação verdadeira, porém, costuma ser rápido e simétrico - o lado esquerdo do rosto espelha o lado direito. O sorriso falso é em geral lento e assimétrico. Quando as pessoas tentam mostrar emoções que não sentem, suas expressões faciais são assimétrico . Em outras palavras, seu sorriso é meio torto.


Está nos olhos

Você provavelmente aprendeu a acreditar que o mentiroso nunca olha nos olhos. Isto é verdade para crianças educadas na cultura ocidental e européia. As mães lhes diziam: "Eu sei que você está mentindo porque não consegue olhar nos meus olhos." Em culturas onde manter contato visual prolongado é considerado uma atitude mal-educada e agressiva, essa regra não se aplica. Além disso, mentirosos experientes sabem manter contato visual quando mentem, sem maior dificuldade. É importante observar se s olhos piscam com mais freqüência - sinal de tensão crescente e de ressecamento do globo ocular, resultante do contato visual forçado.
A direção para onde se move o olho da pessoa quando você lhe faz uma pergunta pode também ajudá-lo a identificar um mentiroso, porque mostra qual parte do cérebro ele está usando, e é um sinal quase impossível de disfarçar. Os destros, quando relembram um acontecimento real, acionam o lado esquerdo do cérebro e geralmente olham para a direita; e quando inventam uma história, acionam o lado direito do cérebro e olham para a esquerda. Em termos simples, mentirosos destros olham para a esquerda, mentirosos canhotos olham para a direita. Essa observação não é isenta de erros, mas é um forte indício de tapeação.


Sinais que denunciam a mentira nos homens 

1. Fazer movimentos faciais involuntários. O cérebro tenta impedir que o rosto dê informações.


2. Não manter contato visual. Os olhos dele fitam o vazio. Se
  a sala tem uma porta, é para onde ele vai olhar.


3. Cruzar os braços ou as pernas. Trata-se de um instinto de
  defesa.


4. Sorrir com os lábios fechados. É o sorriso forçado usado por ambos os sexos para fingir sinceridade.


5. Estreitar as pupilas


6. Falar rapidamente. Mentirosos querem acabar logo com a conversa.


7. Balançar a cabeça indicando "não" quando responde "sim"
  e vice-versa.


8. Esconder as mãos. Os homens acham mais fácil mentir com as mãos nos bolsos.


9. Pronunciar mal ou balbuciar as palavras. Um mentiroso acha que fazendo assim não está mentindo.


10. Rir exageradamente e demonstrar cordialidade. Ele quer fazer você gostar dele para acreditar nele.


Como não ser vítima de mentiras 

1. Sente-se na cadeira mais alta. É uma forma sutil de intimidação.
2. Descruze as pernas, abra os braços e incline-se para trás."Abra-se" para a verdade.
3. Nunca lhe diga o que você REALMENTE sabe – não demonstre que você sabe que ele está mentindo.
4. Invada o espaço pessoal dele. Se você chegar perto, ele se   sentirá desconfortável.
5. Imite a postura e os movimentos dele para estabelecer uma comunicação e tornar mais difícil para ele mentir para você.
6. Dê a ele uma "saída". Procure tornar fácil para ele dizer a verdade. Finja que não escutou direito ou diga que não entendeu o que ele disse. Deixe sempre uma saída para ele voltar atrás e contar a verdade.
7. Fique calma. Não demonstre espanto nem surpresa. Se você reagir negativamente ou com muita ênfase, perderá a chance de ficar sabendo a verdade.
8. Não acuse. Perguntas agressivas como "Por que você não me telefonou?" e "Você está saindo com alguém?" podem fazer com que o mentiroso se aferre à sua posição e não melhorará em nada seu relacionamento com ele.
9. Use a técnica do eu: "Eu senti falta do seu telefonema", "Eu fico triste quando penso que você está saindo com outra mulher". Neste último caso, é bem possível que ele continue negando, mas registrará o sofrimento que sua atitude causa a você.
10. Dê-lhe uma última chance. Ignore a mentira e diga "O que podemos fazer para que isso não aconteça mais?". Se ele achar que você o deixou escapar do anzol, o mais provável é que confesse tudo e, na pior das hipóteses, que encontre uma solução para não ter que recorrer à mentira novamente.

Os homens jamais entenderão as mulheres e as mulheres jamais entenderão os homens.
E isso é algo que homens
e mulheres jamais entenderão.

 Do livro: Por que os homens mentem E as Mulheres choram? Bárbara & Allan Pease

2 comentários:

MGHORTA disse...

O choro e a mentira é de origem, vem dos genes.

Bom artigo.

Bjs

Xênia da Matta disse...

Rrss, valeu, obrigada por sua presença aqui no blog.
bjux e sucesso!