Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Psicologia infantil ou umas boas palmadas?

Cresci apanhando no bumbum e não morri por causa disso. Minha mãe e meu pai sempre eram moderados nessas palmadas, elas eram mais corretivas que agressivas. Cresci pelo menos com vergonha na cara, coisa que muita gente hoje em dia não tem mais. Não se pode encostar a mão numa criança que o conselho tutelar já aparece fazendo um carnaval. Pura balela...é por isso que as Febens estão lotadas, quem não recebe educação  dos pais apanha da polícia, minha avó dizia.

Os pais precisam ajudar os filhos a compreender duas coisas simples:
1. sim/não
2. público/privado

Todas as crises decorrem de um mau entendimento desses dois conceitos. Ou pior, quando existem determinações que são desmentidas pelos pais em palavras ou atitudes - aí, nenhuma palmada resolve.

Não considero a palmada uma 'violência', como dizem alguns. Existem atitudes e palavras muito mais violentas do que uma palmada.

Portanto, é  IMPRESCINDÍVEL corrigir os filhos, ensinar o que é certo, o que é errado, e como se comportar nos lugares públicos, como se comportar nos lugares privados. Assim a criança começa a ter LIMITE, saber que as ações têm consequências. Boas ações, boas consequências e más ações precisam ser consertadas, reparadas e não repetidas...

Se em dado momento a única forma de se compreender isso é a palmada, que venha. Mas, como um alerta, não com raiva e agressividade. 

6 comentários:

Silvio Koerich disse...

Totalmente a favor. Tem que levar uns tapas sim pra aprender a ficar pianinho. Crianças são muito folgadas acham que podem tudo, os pais hoje são uns froxos que não dão limite tudo culpa dessa neo-pedagogia tola

Abraço

Xênia da Matta disse...

Valeu por comentar.
Bjux e sucesso1

Taís disse...

Tenho 2 flhos, uma menina de 10 anos que não me dá trabalho e um menino de 8 que me deixa louca. Sou completamente a favor das palmadas,eu cresci assim e acredito que a maioria da minha geração, as palmadas só ajudam...

Fred Neumann disse...

Olá, pessoal,

Acabei de testemunhar uma crise de nosso filho mais novo, de 3 anos.
Minha esposa deu leves palmadas nele, ainda mais leves se comparadas ao escândalo que ele deu, por querer que,a família toda já no carro, eu voltasse na lanchonete que estávamos para uma Coca-Cola, mesmo com a gente avisando que ele ganharia Coca-Cola em casa ( hoje era o dia da Coca-Cola, eles adoram suco também).
Aí, digitei "psicologia infantil moderna" e cheguei aqui.
Ele não voltará na lanchonete favorita dele na semana que vem, só o irmão de 6 anos.
Pergunto a vocês:na psicologia infantil moderna, ou sei lá, na psicologia de cada um, será que não podemos nunca mais dar palmadas?
Ele acaba de sair do castigo, super triste,pediu desculpas.Mantive a promessa dele não ir á lanchonete. O que vocês fariam?

abraços e parabéns pelo espaço, Xênia,

Fred

Xênia da Matta disse...

Oi, obrigada por participarem aqui no blog, ok?
Olha só, vocês agiram corretamente. Filhos e pais não podem ser iguais. A autoridade e a ultima palavra sempre será dos pais. E depois, tem sim que manter o castigo, por que sim é sim e não é não. NUNCA um não poderá se transformar em sim, por que ele vai aprender usar a MANIPULAÇÃO, concorda?
Você é um bom pai, tanto que já procurou se informar rapidinho. É isso mesmo, parabéns!!!

prii disse...

Tenho um filho de 2 aninhos q mora comigo e meus pais.Mas ele anda muito agressivo e eu ñ posso contar c o pai dele,pq ele ñ gosta nem do pai nem da familia.Eu nao sei mas como agir.