Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

domingo, 21 de junho de 2009

Quais são as gírias que estão na moda?

Não é difícil escutar da boca de um adolescente a frase célebre: “ninguém me entende”. Existe uma série de fatores que podem explicar o motivo pelo qual o jovem é uma criatura difícil de compreender. Alguns estão diretamente ligados a fatores emocionais e hormonais. Outros são mais literais, e tem a ver com o dialeto da tribo adolescente: as gírias.

Escutar uma conversa de adolescentes não é fácil - e dá vontade de apertar a tecla SAP para traduzir o papo. Thalita Rebouças parece ter apertado a tecla. Jornalista e autora de vários livros que falam a língua dos adolescentes, ela explica o motivo pelo qual os jovens falam gírias. “É para ter um código próprio, uma linguagem diferente daquela que os adultos usam”. Assim, o internauta tem seu vocabulário, assim como o rapper, o skatista ou o surfista têm o seu. Os jovens, no meio disso tudo, também tem o deles.

Como os adolescentes costumam se juntar em grupos de amigos que têm gostos parecidos, também criam um vocabulário próprio, que aproxima os pares e facilita essa etapa tão importante no desenvolvimento social. Mas de onde surgem as gírias? Nem mesmo Thalita, conhecida como a queridinha dos adolescentes, tem uma resposta para essa pergunta. “Aí você me pegou. Acho que podem surgir de um filme, de uma novela ou mesmo de um adolescente mais criativo”.

Outro fator que contribui para a proliferação do vocabulário restrito dos jovens é a Internet. Os sites de relacionamento e a comunicação em tempo real contribuem para que as gírias se espalhem e tomem proporções que vão além das telas do computador, caindo na boca da molecada.

Do mesmo jeito que nascem, as gírias também podem se esgotar e cair no esquecimento. Mesmo sem critério que determine qual gíria vai se eternizar e qual será esquecida, é fato que elas sempre se renovam. “A necessidade de criar novas gírias é a mesma de usar uma roupa diferente, que nenhuma outra tribo usa”, explica Thalita.

As gírias mais pronunciadas, na opinião da escritora, são relacionadas ao primeiro beijo. As letras “BV” querem dizer “Boca Verde (ou Virgem)” e BVL, “Boca Virgem de Língua”. Mas, não se espante se um adolescente te chamar de careta ou falar que “BV” e “BVL” não estão com nada. Afinal, as gírias mudam o tempo todo. Tá ligada?

Lista de algumas gírias novas e antigas para você não ficar “por fora”:

Animal - muito bom
Azaração - paquera
BFF - Best Friend Forever - melhor amiga para sempre
Bolado - chateado
De lei - é assim
Irado - muito bom
MP - mente poluída
Meus gerentes não deixam - o mesmo que meus pais não deixam
Rox - irado
Selva - festa em que todo mundo pega todo mundo
SOS - Só o olho salva (quando o cara é feio)
Zoar - fazer bagunça

Você, mãe de adolescente, sabe mais alguma? Conte pra gente.


Gírias de Festa de peão

Abeia braba: peão fraco, que não consegue se manter em cima do animal.
Aguado: animal estressado, cansado, que não pula durante a montaria.
Ajeitado(a): Bonito(a).
Apelo: tipo de falta cometida pelo peão na montaria.
Apurrinhado: cavalo ou touro bom de rodeio, que dá trabalho ao peão.
Baixeiro: manta ou protetor de tecido usado entre o dorso do animal e o arreio.
Barreira: fita que delimita o início da prova e que não pode ser “queimada”.
Berrante: instrumento feito de chifre de boi com detalhes em couro. Emite sons agudos e graves, que a cada toque é uma senha, como a hora do almoço, do perigo.
Bicharedo: pessoa legal.
Bitelo: boa pinta, bonito(a).
Boqueta: coisa ruim.
Brete: local onde ficam os animais antes da prova.
Bruaca: mala de couro cru na qual são levados os pertences para o preparo da queima do alho, comida típica das antigas caravanas de peões. Também pode ser mulher geralmente idosa, feia, maldosa e faladeira.
Cabeceira: excelente caubói.
Cabeceiro: quando o peão laça o animal pela cabeça.
Cancha: contar vantagem.
Caneca de dente: é uma caneca com suas bordas serrilhadas, usada somente para pegar água do recipiente. Estas serrilhas são propositalmente feitas para que impeçam as pessoas de levarem a caneca à boca.
Carregado: quem usa roupa country com muitas franjas e bordas. Aparecido.
Cavalo veiaco: cavalo de difícil montaria.
Cavalo xucro: animal selvagem, que não dá doma.
Cê é um raio né!: você é rápido.
Cernelha: parte do animal selvagem, entre a crina e o dorso.
Chaiene: mulher bonita.
Chaparreira: calças de couro com franjas usadas por cima do jeans pelo peão.
Chique até: pessoa bem vestida ou algo bem bonito.
Chique no úrtimo: algo muito bom, na moda.
Coiote: copinho de cabaça para tomar pinga.
Comitiva: grupo de peões que conduz rebanhos de uma fazenda a outra. Fazem parte o cozinheiro (responsável pela bóia, rango ou comida) e o berranteiro (orientava o gado e seus companheiros ao toque do berrante).
Consolação: cachê recebido pelo peão.
Corda americana: corda trançada usada para envolver o touro, umedecida no breu. É nela que o peão se segura.
Corote: tonel de madeira para colocar pinga.
Crioulo: estilo gaúcho de montar, sem arreio e segurando apenas na crina do cavalo.
Cumpa: amigo.
Cutiano: instrumento de couro usado para montaria, que também dá nome a um tipo de montaria de cavalo.
Dar febre: incomodar, dar trabalho e preocupação.
Dirrubada: péssimo rodeio, que não tem ação. Também usado para mulher idosa e feia.
Duro de boi: peão bom.
Escorpião no bolso: peão pão-duro. Não gasta com nada. Mão-de-vaca.
Espritado: pessoa agitada. Pode ser usado também para cavalos e bois.
Estribo: lugar onde o caubói coloca os pés.
Fantasma: peão medroso, que tem medo do animal.
Fervo: festa boa.
Gineteada: ato de montar e esporear.
Ginete: é o nome dado aos peões.
Guaiaca: cinto de couro que possui várias partes para colocar moedas, canivete ou dinheiro.
Guampo: copo feito de chifre para se beber água.
Ir pro Goiás: o mesmo que levar um calote.
Isso não vira não: não vai dar certo.
Jogar pedra nas pombinhas: segurar vela, atrapalhar a paquera de alguém.
Lagarta de algodão: termo usado quando o caubói quase se machuca durante a montaria.
Loro: correia onde se prende o estribo.
Madrinheira ou madrinheiro: responsável pelo resgate dos competidores na arena após a montaria.
Mala-de-louco: peão que não tem estilo, mas que consegue parar no animal.
Manta: bife grosso.
Mofete: pessoas chatas.
Moiá as palavras: tomar cachaça.
Negar pulo: quando o animal empaca no meio da arena, se recusa a pular.
Palhaço salva-vidas: profissional que fica distraindo os animais na arena, após a montaria dos peões, reconduzindo-os ao brete.
Pamonha: premiação do rodeio.
Peia: corda usada para amarrar o animal.
Pialo: tombo.
Pito: saliência da parte dianteira da sela, onde se amarram os laços, ponto de apoio do laço na parte posterior da sela. Bronca.
Polaco: sinos de metal colocados no touro para irritá-lo.
Prosa: conversa, bate-papo.
Queixo duro ou queixudo: animal que não atende aos comandos das rédeas. Homem teimoso.
Sedém: cinta feita de crina (pêlo do pescoço e do rabo) ou de pele de cavalo que é amarrada na virilha dos animais, provocando cócegas e contribuindo para que ele pule.
Sedém no talo: calça jeans bem apertada, justa.
Sinueiro: boi experiente que comanda a manada, esperto, chefe da tropa.
Tá no náilon: mulher conquistada.
Tem base?: dá pra acreditar?
Traiado ou “na traia”: adepto de roupa country legítima e completa.
Trempe: chapa de fogão dobrável usada nas comitivas.
Tropa: grupo de cavalos e touros de aluguel para os rodeios.
Tropeiro: dono das tropas. Criador que fornece animais treinados para o rodeio.
Vazar: ir embora.
Xucro: animal selvagem, que não aceita ser domado. Pessoa de pouca inteligência.

Gírias que rolam pelo Brasil

Afogar o ganso - Transar, fazer sexo.
Alemão - Branquelo loiro, garoto muito branco, do tipo, branco-fantasma.
Almofadinha - engravatado, rico, Mauricinho moderno; termo próximo utisado pelos próprios: Elite.
Alugar - Pegar para Cristo, como na frase "Ele me alugou o dia inteiro!" quer dizer sair do meu pé, não largor, roubor todo o meu tempo.
Apagar o cara - Matar o dito cujo.
Arame - Dinheiro.
Busu - Ônibus. Também fala-se busão.
Bagúio - O mesmo que bagulho, coisa, negócio, lugar ou mesmo pessoa.
Baiano - Pessoa lesa, vagarosa, preguiçosa que gosta de coisas bregas, fora de moda.
Bitolar - Decorar, estudar até a exaustão, preocupar-se; Bitolado: pessoa preocupada com algo, que estuda muito.
Bizarro - Apelido carinhoso como em "Seu bizarro!"; Estranho, exótico, sem nexo.
Boca - Lugar perigoso, mal frequentado, lugar de marginais; Boca Quente: Termo que reforça a idéia de local ruim, quente faz referência a inferno, ou Boca do inferno, local ruim.
Boiar - Não entender, estar por fora do assunto. "Meu, tô boiando nessa matéria."
Boiola - gay.
Brother - Amigo, chapa, chará (Termo utilizado no Rio de Janeiro).
Bruaca - Mulher feia; (sinônimo) Baranga.
Buraco - Lugar distante, ruim, não luxuoso, fim de mundo, lugar bagunçado.
Bufunfa - Dinheiro.
Cê - Diminutivo de você.
Caçadora - Mulher que procura homem, que "caça" homem.
Canhão - Mulher feia; (sinônimos) Baranga, Bruaca
Cara - Denominação para pessoa de maneira informal; (sinônimos) Meu, mano, brother. Exemplo "Cara, eu vi umas minas muito loucas!"
Carango - Carro, automóvel.
Careta - Antiquado, fora de moda.
Carniceiro - Cúplice, parceiro que pega as sobras de tudo, pessoa que segue um chefe, algumas vezes pode ser classificado como braço direito.
Chapado - Drogado, bêbado, sonolento.
Da hora - Legal, bacana, de agrado geral. Faz refência a algo atual, do momento, "da hora", quer dizer, que no momento é um sucesso.
Dar um corretivo - bater, ensinar através da força bruta.
Dar uma passada - passar rapidamente, ler rápido.
Dedo-duro - Sujeito que delata alguém.
Demorou - Expressão que denota espera prolongada por algo que já podia ter sido feito. Exemplo "Eu perdi a timidez e falei com ela! Ih! Demorou cara, já passaram na sua frente!"
Despachar o cara - Enviar para o outro lado, matar alguém; enviar alguém para um lugar distante.
Detonar - Acabar com algo, terminar, ver tudo sem deixar nada para trás. Exemplo "O jogo foi detonado!"; Arrasar, fazer bonito. Exemplo "Vamos detonar na festa com essas roupas!"; horrível, muito ruim, destruído. Ex: "Ai, meu cabelo tá detonado!"
Donzela - Pessoa que acha que o mundo roda em torno de si, princesa ou príncipe, pessoa preguiçosa. Exemplo "Ei, não vai fazer a comida não donzela?"
E aí - Interjenção que tem o mesmo significado de "hey", como que chamando uma outra pessoa.
Embaçar - demorar para fazer algo, fazer lentamente afim de demorar mesmo;(sinônimo) Fazer cera; situação difícil. Ex: "Ih, o negócio aqui tá embaçado!"
Esquema - essa palavra tem quase o mesmo significado nessa frase, como "esquema de ação" ou "esquema de passe" de alguma coisa. Funciona da mesmo forma, só que resume a ação, como na frase "Tá ligado no esquema da festa?" pode ser "Sabe como será a festa?" ou "Sabe como iremos para a festa" o "esquema" no caso é referente a uma ação tática, como ir, fazer, trocar, comprar etc.
Estar de chico - Estar menstruada.
Estar ferrado - Estar sem saída, estar marcado; (sinônimos) Estar frito, estar ******, estar lascado.
Estar limpo - Estar com a barra limpa, estar sem nada, não ter feito nada ilegal ou errado.
Fazer - Transar, fazer sexo.
Fazer cera - Ver Embaçar.
Ficar frio - Ficar calmo, relaxar, não se preocupar.
Filá - Do verbo filar. Pegar um pouco, pegar um pedaço, pegar sem pedir permissão, dar em cima de alguém que está disponível.
Filé - Mulher bonita, boa de corpo, gostosa; usado em diminutivo na maioria das vezes; Filezinho.
Fritar alguém - Ferrar alguém, deixar a pessoa em maus lençõis, em má condição.
Frutinha - Pessoa efeminada.
Galinha - Usado para ambos os sexo, para pessoas que saem com todo mundo, transam com qualquer um.
Garanhão - Homem que se gaba de transar com todas as mulheres que quer.
Gringo - Americano, estrangeiro.
Jacu - Pessoa do interior, tímida, sem malícia.
Japão - Lugar em que tem muita gente, lugar lotado. Exemplo "Aquela festa estava o maior Japão!"
Mano - Diminutivo de "irmano" que do espanhol significa irmão, o que denota uma fraternidade entre amigos, uma irmandade. É a gíria mais usada em São Paulo acompanhada do Meu lógico
Mina - Garota; diminutivo de menina, usado entre os manos.
Marombeiro - Cara que maromba, que faz musculação e outros exercícios físicos; ser típico de praia.
Meu - Denominação para pessoa de maneira informal; (sinônimos) Meu, mano, brother. Exemplo "Meu, eu vi umas minas muito loucas!"
Molhar o biscoito - Transar, fazer sexo; ver afogar o ganso.
Morô? - Entendeu?; está claro?
Na moral - Na boa, sem problemas; denota cumplicidade; usado em saídas estratégicas.
Nerd - Idiota, bitolado, babaca, besta.
Passar lotado - Passar muito rápido, correndo, com pressa.
Patty - Diminutivo de Patrícia; garota que anda na moda, rica; armada de celular ou no mínimo um pager. Termo próximo utizado pelas mesmas: garotas fashion.
Pau - Pênis; Meter o pau: Bater em alguém, depreciar a imagem de alguém; Cair no pau: entrar em briga.
Piranha - Termo feminino para garota de programa; Ver galinha.
Pistoleira - Mulher interesseira, que casa por dinheiro; Usurpadora, mulher baixa.
Possuído - possesso; dominado pela raiva, pelo ódio; pessoa que age de maneira estranha, age pela raiva. Intensidade, muito distante. Ex: Meu, a mina mora **** longe! "
Queimar - Revide de provocações com sucesso do queimador. Ex: "Vixe, o fulano levou uma queimada!"
Queimar a rosca - transar, fazer sexo; ver molhar o biscoito, afogar o ganso.
Rapá - Diminutivo de rapaz; ver cara.
Redondo - Pessoa gorda; moeda.
Rolê - Passeio, volta; Dar rolê de vassoura: Ir passiar e não encher o saco.
Secar - Olhar fixamente, a exaustão com a idéia de termino rápido ou de querer; Secar alguém: fletar com alguém, olhar fixamente para alguém. Exemplos: "Ela tá ti secando faz tempo cara!" sig. "Ela está de olho em você faz tempo amigo!"; "Pára de secar o meu sanduiche?" sig. "Pare de olhar fixamente como que querendo meu sanduiche?".
Sinistro - Sem explicação, que aconteceu e ninguém sabe como; pessoa obscura, não conhecida. Exemplo: "Esse cara é sinistro"; "Ih, não gostei disso, ele desapareceu e nem deu notícias, sinistro!"; muito legal. Ex: "Meu, que sinistra essa roupa!"
Tá ligado - Sabe, está sabendo, entende, está entendendo. Gíria mais comum no vocabulário paulistano.
Tirar água do joelho - urinar.
Trabuco - arma; mulher feia, baranga.
Traçar - Transar, fazer sexo; Ver afogar ganso, molhar biscoito.
Trampo - Trabalho.
Tosco - Pessoa Burra. Ex: Meu, você é muito tosco!
Tosqueira - O que o tosco faz
Troço - Negócio, bagulho, coisa idefinida.
Tutu - Dinheiro
Urubu - Cara que fica em cima das "minas"; cera que pegas os restos, ou no caso as ex-garotas regeitadas dos amigos mais bem dotados; cara feio.
Verdinha - Dólar, dinheiro
Viajar - Estar no mundo da lua, alienado das coisas, não estar presente mentalmente.Viajar na maionese: o mesmo que boiar.
Virar Casaca - trocar de lado, trocar de sexo, trocar de time etc.
Xonado - Apaixonado.


2 comentários:

janio made inblog disse...

Quando você pesquisa, você pesquisa mesmo héim?

Este post vai entrar para o meu, CLD (copiei para ler depois).

Eu quero ter certeza que algum boyzinho não andou me ofendendo sem eu saber.

Xênia da Matta disse...

Valeu!!!
Bjux e fique a vontade para copiar e guardar o que quiser. Bjux e sucesso!!!