Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

domingo, 28 de junho de 2009

Sensacional: Músicas de Elifas e Toquinho para ensinar o ECA

Os direitos da criança, segundo Elifas eToquinho

- Fazer música em cima de parágrafos de uma declaração?

Esta foi a primeira reação de Toquinho (Antonio Pecci Filho, 42 anos), quando seu amigo Elifas Andreato levou a idéia de um disco-espetáculo sobre Declaração Universal dos Direitos da Criança.Toquinho leu e releu os dez ítens da declaração dos direitos infantis, aprovado pela Assembléia da Sociedade das Nações, em 26 de março de 1924 e começou a pensar melhor no assunto. Afinal, muitos anos antes de nascer Pedro - seu filho com Mônica - Toquinho já havia se voltado ao universo infantil, fazendo com o inesquecível amigo e parceiro Vinicius de Moraes um disco na Itália, em 1970 - e que depois, reciclado, teria dois desdobramentos no Brasil ("Arca de Noé", volumes um e dois).

A ternura e o encantamento da criança estão presentes ao longo de sua obra - desde a obra-prima "O Filho que eu Quero Ter" (sem dúvida, o melhor momento de sua parceria com Vinicius) até as mais ingênuas - e comunicativas - canções infantis.

Portanto, a resposta não demorou:

- Topo!

Juntos, Toquinho e Elifas, este admirável paranaense que ainda criança foi morar em São Paulo para se tornar um de nossos maiores artistas gráficos - com incursões no teatro e música - passaram a trabalhar no projeto. Em maio, quando Toquinho veio a Curitiba, algumas canções já estavam prontas - quando, aliás, em primeiríssima mão, noticiamos em nossa coluna "Tablóide" o projeto. Alguns meses depois, e o trabalho foi concluído: o disco "Canção de Todas as Crianças" (Philips/Polygram), foi para as lojas na Semana da Criança, o show estreou no dia 8, no Anhembi, em São Paulo e um especial foi apresentado pela TV-Globo, este desagradando Toquinho:

- "O programa ficou reduzido a 30% do que havia sido proposto.

Não nos agradou. Foram dez dias de gravação, preparação de cenários, ótimos atores, que se perderam por problemas de edição. Sobraram apenas cinco músicas, quando as dez músicas que integravam o projeto serviriam como elemento de ligação da história".

Em compensação, o disco está perfeito. Elifas Andreato criou uma belíssima capa e um encarte além de trazer as letras, as insere num texto para a montagem em forma de teatro infantil - com todas as dicas possíveis. Para encenações amadorísticas, sem finalidade comercial, o material está liberado, mas para montagens comerciais há, naturalmente a necessidade de obter o consentimento dos autores.

Toquinho e Elifas conseguiram transformar em deliciosas canções os dez princípios da "Declaraçãode Genebra", a partir dos cinco primeiros elaborados pela inglesa Eglantyne Jebb - aos quais se acrescentariam em 1948 mais dois parágrafos - um contra a discriminação da raça, nacionalidade e religião, e um outro, pela integridade da família e direitos sociais da criança.

Finalmente, em 20 de novembro de 1959, a Assembléia Geral das nações Unidas aprovou os dez princípios da "Declaração Universal dos Direitos da Criança", mas até hoje, eles são desconhecidos pela maioria dos povos do mundo.

Há 12 anos, no auge da repressão, Jards Macalé já havia idealizado o "Banquete dos Mendigos", com um espetáculo em que foram lidos os parágrafos da Declaração Universal dos Direitos do Homem. A Censura agiu até sobre o documento, o espetáculo e o álbum histórico registrando o acontecimento só sairia anos depois (1).

Direitos das crianças - "A criança tem direito à igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade" diz o princípio I da Declaração Universal dos Direitos da Criança", e a canção que abre o (...) tem o nome de "Deveres e Direitos".


deveres e direitos

toquinho

Composição: Toquinho / Elifas Andreatto

Crianças: iguais são seus deveres e direitos.
Crianças: viver sem preconceito é bem melhor.
Crianças: a infância não demora, logo, logo vai passar,
Vamos todos juntos brincar.

Meninos e meninas,
Não olhem religião nem raça.
Chamem quem não tem mamãe,
Que o papai tá lá no céu,
E os que dormem lá na praça.

Meninos e meninas,
Não olhem religião nem cor.
Chamem os filhos do bombeiro,
Os dois gêmeos do padeiro
E a filhinha do doutor.

Meninos e meninas,
O futuro ninguém adivinha.
Chamem quem não tem ninguém,
Pois criança é também
O menino trombadinha.

Meninos e meninas,
Não olhem cor nem religião.
Bons amigos valem ouro,
A amizade é um tesouro
Guardado no coração.

Em seguida, o princípio "A criança tem direito a um nome e a uma nacionalidade" resulta em "Gente Tem Sobrenome", no qual Toquinho fala de amigos famosos, na busca da comunicação fácil que caracteriza o disco.

gente tem sobrenome

toquinho

Composição: Toquinho / Elifas Andreato

Todas as coisas têm nome,
Casa, janela e jardim.
Coisas não têm sobrenome,
Mas a gente sim.
Todas as flores têm nome:
Rosa, camélia e jasmim.
Flores não têm sobrenome,
Mas a gente sim.

O Jô é Soares, Caetano é Veloso,
O Ary foi Barroso também.
Entre os que são Jorge
Tem um Jorge Amado
E um outro que é o Jorge Ben.
Quem tem apelido,
Dedé, Zacharias, Mussum e a Fafá de Belém.
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também.

Todo brinquedo tem nome:
Bola, boneca e patins.
Brinquedos não têm sobrenome,
Mas a gente sim.
Coisas gostosas têm nome:
Bolo, mingau e pudim.
Doces não têm sobrenome,
Mas a gente sim.

Renato é Aragão, o que faz confusão,
Carlitos é o Charles Chaplin.
E tem o Vinícius, que era de Moraes,
E o Tom Brasileiro é Jobim.
Quem tem apelido, Zico, Maguila, Xuxa,
Pelé e He-man.
Tem sempre um nome e depois do nome
Tem sobrenome também.

E esta técnica prossegue ao longo dos oito outros ítens Bê-a-Bá - princípio VII: "a criança tem direito a educação, para desenvolver as suas aptidões, suas opiniões e os sentimentos de responsabilidade moral e social".

Natureza distraída - princípio V - "A criança deficiente tem direito à educação e cuidados especiais".

natureza distraída

toquinho

Composição: Toquinho / Elifas Andreatto

Como as plantas somos seres vivos,
Como as plantas temos que crescer.
Como elas, precisamos de muito carinho,
De sol, de amor, de ar pra sobreviver.

Quando a natureza distraída
Fere a flor ou um embrião,
O ser humano, mais que as flores,
Precisa na vida
De muito afeto e toda compreensão.

Castigo não - Princípio IX - "A criança não deve ser abandonada, espancada ou explorada, não deve trabalhar quando isso atrapalhar a sua educação, saúde e o seu desenvolvimento físico, mental ou moral".

castigo não

toquinho

Composição: Toquinho / Elifas Andreatto

Um dia você crescerá,
Será gente grande também.
Depois você vai namorar,
Gostar muito, muito de alguém.
E quando você se casar
Virá com certeza um neném.

Não deixe nunca
Seu filho sozinho,
Sem proteção.
Castigos não fazem
Ninguém mais bonzinho,
Não fazem, não.

Não levante a voz
Nem levante a mão.
Não bata, não xingue
Nem dê beliscão.
Não trate as crianças
Como bem entender.
Gritos não vão resolver.

Criança que apanha
Não aprende a lição.
Com jeito ela vai aprender.


Imaginem - Princípio X - "A criança deve ser protegida do preconceito, fraternidade, deve desenvolver as suas capacidades para o bem dos seus semelhantes".


imaginem

toquinho


Imaginem todos vocês
Se o mundo inteiro vivesse em paz.
A natureza talvez
Não fosse destruída jamais.

Russo, cowboy e chinês
Num só país sem fronteiras.
Armas de fogo, seria tão bom,
Se fossem feitas de isopor.
E aqueles mísseis de mil megatons
Fossem bombons de licor.

Flores colorindo a terra
Toda verdejante, sem guerra.
Nem um seria tão rico,
Nem outro tão pobrinho:
Todos num caminho só.

Rios e mares limpinhos,
Com peixes, baleias, golfinhos.
Faríamos as usinas e bombas nucleares
Virarem pão-de-ló.

Imaginem todos vocês
Um mundo bom que um beatle sonhou.
Peçam a quem fala Inglês
Versão da canção que John Lenon cantou.


Errar é humano - Princípio II - "A criança tem direito a ser compreendida, deve ter oportunidade de se desenvolver em condições de igualdade de oportunidades, com liberdade e dignidade".

errar é humano

toquinho

Composição: Toquinho / Elifas Andreatto

Não, não é vergonha, não,
Você não ser o melhor da escola,
Campeão de skate, o bom de bola ou de natação.
Não, não é vergonha, não,
Aprender a andar de bicicleta
Se escorando em outra mão.

Não, não é vergonha, não,
Você não saber a tabuada,
Pegar uma onda, contar piada, rodar pião.
Não, não é vergonha, não,
Precisar de alguém que ajude
A refazer sua lição.

A vida irá, você vai ver,
Aos poucos te ensinando
Que o certo você vai saber
Errando, errando, errando.

Não, não é vergonha, não,
Ser da turma toda o mais gordinho,
Ter pernas tortas, ser bem baixinho ou grandalhão.
Não, não é vergonha, não.
Todos sempre têm algum defeito,
Não existe a perfeição.

De umbigo à umbiguinho - Princípio IV - "A criança tem direito à alimentação, direito de crescer, com saúde e a mãe deve ter cuidados médicos antes e depois do parto".

de umbigo a umbiguinho

toquinho

Composição: Toquinho e Elifas Andreato

Muito antes de nascer
Na barriga da mamãe já pulsava sem querer
O meu pequenino coração,
Que é sempre o primeiro a ser formado
Nesta linda confusão.

Muito antes de nascer
Na barriga da mamãe já comia pra viver
Cheese salada, bala ou bacalhau.
Vinha tudo pronto e mastigado
No cordão umbilical.

Tanto carinho, quanta atenção.
Colo quentinho, ah! Que tempo bom!
De umbigo a umbiguinho um elo sem fim
Num cordãozinho da mamãe pra mim.

Muito antes de nascer
Na barriga da mamãe começava a conviver
Com as mais estranhas sensações:
Vontade de comer de madrugada
Marmelada ou camarões.

Muito antes de nascer
Na barriga da mamãe me virava pra escolher
A mais confortável posição.
São nove meses sem se fazer nada,
Entre água e escuridão.

Tanto carinho, quanta atenção.
Colo quentinho, ah! Que tempo bom!
De umbigo a umbiguinho um elo sem fim
Num cordãozinho da mamãe pra mim.

Cada um é como é - Princípio VI - "A criança tem direito ao amor e à compreensão, devem crescer sob a proteção dos pais, com afeto e segurança para desenvolver a sua personalidade".

cada um é como é

toquinho

Composição: Toquinho / Elifas Andreatto

Papai é como é, entendo ele até,
Sua vida não é mole, não.
Sai pra trabalhar, só volta pro jantar,
Cochila em frente da televisão.

Mamãe foi sempre assim, cuidou sempre de mim,
Uma adorável chateação:
É um tal de toma banho, escova os dentes,
Troca de roupa e vai fazer sua lição.

Homem e mulher, que confusão,
Cada um é como é.
Por fora, tudo bem, por dentro não.
Ninguém parece com ninguém.

Vovó é genial, da casa é a mais normal,
Com suas manobras radicais.
Escondido ela me dá dinheiro pra gastar,
Nunca conta nada pros meus pais.

Vovô é o que há, tem sempre pra falar
Uma novidade genial.
Se esquece e conta sempre a mesma história
E adormece entre as notícias do jornal.


É bom ser criança - Princípio VIII - "A criança em qualquer circunstância deve ser a primeira a receber proteção e socorro".

é bom ser criança

toquinho

Composição: Toquinho

É bom ser criança,
Ter de todos atenção.
Da mamãe carinho,
Do papai a proteção.
É tão bom se divertir
E não ter que trabalhar.
Só comer, crescer, dormir, brincar.

É bom ser criança,
Isso às vezes nos convém.
Nós temos direitos
Que gente grande não tem.
Só brincar, brincar, brincar,
Sem pensar no boletim.
Bem que isso podia nunca mais ter fim.

É bom ser criança
E não ter que se preocupar
Com a conta no banco
Nem com filhos pra criar.
É tão bom não ter que ter
Prestações pra se pagar.
Só comer, crescer, dormir, brincar.

É bom ser criança,
Ter amigos de montão.
Fazer cross saltando,
Tirando as rodas do chão.
Soltar pipas lá no céu,
Deslizar sobre patins.
Bem que isso podia nunca mais ter fim.


A grande mensagem - Um produtor competente e cuidadoso como Fernando Faro, antigo colaborador de Toquinho, garantiu a qualidade deste álbum. Excelentes músicos - como Amilson Godoy (arranjos teclados), Ivanio Sabino no baixo, Rogério Cauchioli na bateria (participação especial de Osvaldinho do Acordeon em Bê-a-Bá"), o afinado coro de cinco vozes (Cidinha, Maria Rita, Maria do Carmo, Sueli e Bernadete), mais secções de metais e cordas emolduram harmoniosamente as canções.

"Canção de Todas as Crianças" é um projeto belo, delicado e universal. Uma idéia feliz que Toquinho e Elifas desenvolveram com felicidade, mostrando, mais uma vez, que o talento é ainda maior quando se volta a pureza deste país imensamente belo e que todos nós habitamos um dia: a infância.

Nota

(1) O show "O Banquete dos Mendigos" foi realizado no Museu de Arte Moderna do Rio de janeiro em dezembro de 1973 com a participação de Paulinho da Viola, Jorge Mautner, Pedro dos Santos, Edu Lobo, Chico Buarque, MPB-4, Edison Machado, Luiz Melodia, Milton Nascimento, Jards Macalé, Dominguinhos, Gal Costa, Raul Seixas, Luiz Gonzaga Jr. E Johnny Alf. Só em 1979, a RCA pôde editar o álbum duplo com a íntegra deste espetáculo-protesto.


Artigo de Aramis Millarch com adaptações de Xênia da Matta

Nenhum comentário: