Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Sem sexo, sem comida!


A nova lei aprovada no Afeganistão para os homens da etnia hazara , é uma afronta a todas as mulheres do mundo. O que somos, então? Simples objetos de prazer? Leiam a notícia na íntegra retirada da revista època, é um dos maiores absurdos dos dias atuais.

No último domingo, uma lei retrógrada foi publicada no Afeganistão. Ela permite que homens da etnia hazara possam castigar suas mulheres deixando-as sem comida caso elas lhe neguem o tamkeen, o direito da satisfação das necessidades sexuais, como informa o jornal espanhol El País. Os hazaras representam 9% da população total do país.

O repórter do jornal espanhol visitou os bairros onde os hazaras se concentram para saber a repercussão da lei. Alguns disseram não saber da nova ordem. Mas é disseminada entre eles a punição em que o marido pode impedir a mulher de sair de casa quando entende que ela não o satisfaz. “É o que diz o corão”, diz um taxista local.

O líder espiritual hazara Mohakik Zada, opositor do Taliban e propagador de ideias mais liberais com relação ao islamismo, diz que a lei, na verdade, beneficia as mulheres e que a parte que diz respeito ao tamkeen é a única que agrada os homens. “A proibição de sair de casa está prevista no código civil, não é algo novo. A norma representa uma melhora porque a mulher poderá sair em caso de urgência, se estiver doente, por exemplo”, disse Zada. “A mulher pode impor todas as condições que quiser antes do casamento: permissão para sair, decidir se quer ou não usar burca ou questões relativas ao divórcio. A lei as ampara. O que acontece é que quase ninguém conhece a lei ou seus direitos”.

Zada afirma que a obediência da mulher ao tamkeen está prevista no Corão. O livro estabelece também a gradação da pena imposta pelo marido. “Primeiro, ele pode deixar de falar com ela. Depois, separar as camas; terceiro dar-lhe um aviso. Apenas em último caso é permitido golpear a mulher suavemente, sem causar feridas”.

O mulá defende a ideia de que a lei melhora a condição das mulheres. Permite que elas neguem sexo se estiverem menstruadas ou com dores. Ele ainda acusa a imprensa estrangeira de descontextualizar o assunto. “Acontece no Irã, Iraque, Síria. Por que tanto barulho com o Afeganistão?”.

3 comentários:

Atila disse...

Ja pensou se a moda pega?
Bom poderiamos fazer algo parecido aqui no Brasil, mas ao não com as mulheres e sim com os politicos, se se negarem a parar de roubar podemos açoita-los em praça publica.. seria uma saida.. ou seria melhor coloca-los de burca? Não... já sei, vamos priva-los de sexo, enquanto não pararem deixemos todos presos em uma cela (dessas das hiper-lotadas Brasil afora) sem sexo e sem comida.
Triste ver que ainda ocorrem epsódios tão antiquados num mundo como o nosso.

DAVID EME disse...

Concordo com a Atila no tocante aos políticos e incluo, aí, grande parte de pastores, padres e outros do mesmo naipe. Acrescento que não há motivos pra ficar chocada. Se você leu mesmo a matéria, não entendo sua indignação. Você sabia que na bíblia está escrito que a esposa tem a obrigação sagrada de cumprir com suas obrigações matrimoniais, inclusive e, principalmente, no que se refere às necessidades sexuais do marido, independentemente de seu estado? Quer dizer: não adianta ficar com dor de cabeça toda noite e nem usar de artifícios do tipo: "Ah, hoje tô um bagaço" e coisa e tal. Nós, homens, é que somos condescendentes e, quando a coisa aperta, vamos resolver a situação com as "dadivosas" de plantão. Não me leve a mal. Abraços

Xênia da Matta disse...

Oi, Atila, oi David, primeiro gostaria de agradecer a participação de vocês aqui no Blog, é uma honra tê los conosco.
Eu concordo com o Atila em relação aos nossos políticos. Mas, discordo de você David.
Eu creio que em qualquer relacionamento humano e principalmente afetivo não deve existir regras sociais que o regulamente. Por exemplo se um casal quiser fazer sexo ou amor 10 vezes em um dia é problema deles, e se em contra partida uma mulher não quer fazer amor com seu marido existem aí neste contexto 2 possibilidades: a primeira é que ela realmente esteja sentindo algum problema físico ou emocional e o segundo é que ela já não sinta amor por ele. Os homens geralmente traem para manter o casamento e as mulheres para sair dele.
Quando uma mulher se recusa a fazer amor com seu "homem", geralmente, o amor acabou.
Respeito sua opinião. A minha é essa.
Bjux e sucesso.