Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

sábado, 26 de setembro de 2009

O que a Internet está destruindo em nossas vidas?

Abaixo está uma lista reformulada e adaptada com algumas coisas, entre hábítos e posturas sociais, que a internet está destruindo:

1 - A arte de discordar educadamente

As discussões insignificantes dos iniciantes do YouTube podem não ser representativas, mas certamente a internet aguçou o tom dos debates. O mundo dos blogs parece incapaz de aceitar as diferenças de opinião. E os trolls crescem em cada canto da web.

2 - Medo de ser a única pessoa do mundo não tocada pela morte de uma celebridade

O Twitter se tornou uma tribuna aberta para piadas sobre a morte de pessoas famosas. Algumas de muito mau gosto, mas um antídoto para o “luto” dos fãs que, de outra forma, predominaria.

3 - Ouvir um disco do início ao fim

Os singles são um dos benefícios improváveis da internet. Por um lado, não é mais preciso aguentar oito músicas chatas para poder ouvir uma ou duas que valem a pena. Mas, por outro lado, álbuns que valem a pena terão a audiência que merecem?

4 - Pontualidade

Antes dos celulares, as pessoas precisavam manter seus compromissos e chegar ao restaurante na hora certa. Enviar mensagens de texto cinco minutos antes para avisar os amigos do atraso se tornou uma das grosserias descartáveis da era da conectividade.

5 - Listas de telefone

Você pode encontrar tudo que quiser na internet, com dados muito mais completos do que as antigas e mofadas Páginas Amarelas.

6 - Lojas de música

Em um mundo onde as pessoas não estão dispostas a pagarem por música, cobrar delas R$ 30 por 12 músicas dentro de uma frágil caixa de plástico, definitivamente, não é um bom modelo de negócio.

7 - Memória

Quando quase todo fato, não importa quão obscuro e misterioso, pode ser esmiuçado em segundos através do Google ou do Wikipedia, o “mero” armazenamento e recuperação de conhecimentos em sua mente se tornou menos valorizado.

8 - Concentração

Quem, entre o Gmail, o Twitter, o Facebook e o Google News, consegue trabalhar? Uma nova tendência de distúrbio de concentração que se desenvolve.

9 - Decorar números de telefone

Depois de digitar os números na agenda do seu celular, você nunca mais vai olhar para eles de novo.

10 - Teorias conspiratórias

A internet é constantemente repudiada como dominada por pessoas excêntricas, mas, ao longo dos anos, se mostrou muito mais propensa para desacreditar teorias conspiratórias em vez de perpetuá-las.

11 - Preencher formulários na última página dos livros

O mais próximo disso hoje são os serviços das livrarias virtuais como “Clientes que compraram este livro também compraram…”

12 - Álbuns de fotos e projeções de slides

Facebook, Flickr e sites de impressão de fotos como Snapfish são a nova maneira pela qual compartilhamos nossas fotos. No início deste ano, a Kodak anunciou estar descontinuando a produção do seu clássico filme Kodachrome por falta de demanda.

13 - Depender de agentes de viagens para marcar férias

Para embarcar em uma viagem de férias, não precisamos mais passar obrigatoriamente pelo agente de viagens, que tenta insistentemente vender aquele pacote “imperdível”. Sites especializados montam a viagem dos sonhos dentro do orçamento possível.

14 - Adolescentes ansiosos pela sua primeira Playboy

A onipresença de pornografia gratuita e pesada na internet acabou com um dos mais temidos ritos de passagem para os meninos adolescentes: a compra de revistas de pornografia. Porque tremer na fila para comprar a última Playboy se você pode baixar montanhas de obscenidades direto na sua cama?

15 - Relógios de pulso

Ficar mexendo no bolso para pegar seu celular pode não ser tão elegante quanto olhar para um relógio de pulso, mas é mais econômico e prático do que andar por aí com dois equipamentos.

16 - Artistas ainda não descobertos

Colocar suas pinturas ou poemas online é tão fácil, que os artistas desconhecidos não têm mais desculpas.

17 - Escrever cartas

E-mail é mais rápido, barato e conveniente. Receber uma carta escrita à mão de um amigo se tornou um prazer raro, e até nostálgico. Como consequencia, frases de despedida formais como “Com as melhores saudações” foram substituídas por um simples “Valeu”.

18 - Matar tempo

Quando foi a última vez que você passou uma hora olhando o mundo pela janela, ou lendo novamente seu livro favorito? A atração da internet sobre a nossa atenção é implacável e, cada vez mais, difícil de resistir.

19 - Assistir televisão acompanhado

A internet permite que parentes e amigos assistam os mesmos programas em diferentes horários e em diferentes lugares, acabando com o significado daquele que foi um dos mais atrativos apelos culturais da classe média, a experiência compartilhada. Programas para assistir televisão juntos, se ainda existem, se limitam a eventos esportivos e reality shows.

20 - O intervalo de almoço

Você deixa o seu computador para almoçar? Ou come um sanduíche enquanto responde e-mails pessoais e confere as últimas promoções de passagens aéreas?


Fonte:

10 comentários:

Ebrael Shaddai disse...

Bem, Xênia!!

Sabemos que não há mais volta!! Tudo está ao alcance e ficará inda mais, as pessoas mais próximas, para o bem ou para o mal!! É a transformação radical por quais as civilizações, de tempos em tempos, sempre passaram.

Sou meio desconfiado quanto ao resultado definitivo de todas essas mudanças, apesar de eu tbm não conseguir mais viver sem estar conectado desta rack da sala, tomando café, ao mundo inteiro.

Ótimo tema!!
BJs!!

Blog do Seu Luiz disse...

Xênia,

assino em baixo da sua lista. Para pessoas mais vividas, como eu, as bate uma saudade de algumas coisas.

Abraços

*** Cris *** disse...

Olá,td bem?
Eu já disse que adoro seu blog? pois é, eu adoro!
Bjs!

Sandra F. disse...

Oi, Xênia, tudo verdade!
"O mundo dos blogs parece incapaz de aceitar as diferenças de opinião" e isso é algo que me irrita profundamente.
Eu costumo comer na frente do computador muitas vezes, infelizmente!
Bjs.

Emanuelle Najjar disse...

Discordar educadamente sempre foi um ponto difícil. Com internet então, tornou-se quase impossível.

E concentração... a minha pelo menos terminou. Eu me esforço pra recuperar a atenção.

Pelo menos ainda acompanho coisas pela TV e também "mato o tempo" de outras formas.

Bom post!

mayprow disse...

É BEM VERDADE TUDO ISSO XÊNIA
as transformações estam ai .
a net está revolucionando muitas coisas.hoje não vivo sem net.

Rosana Madjarof disse...

Xênia,

É incrível como esse artigo dispõe de quase todos os deslizes que andam cometendo por causa da amiga Internet...
Realmente, muitas coisas que estão escritas nos servem de carapuça...
Eu, por exemplo, já andei me questionando várias vezes, pois depois do celular não consigo mais memorizar números de telefones... Nem mesmo os números da minha filha, mãe irmão... Coisa que não acontecia algum tempo atrás.
Mas ainda posso dizer que faço muita coisa a moda antiga... Como escrever cartas manuscritas, enviar cartões de Natal etc...
Não troco um bom livro por nada, pois não suporto livros virtuais. Livro é livro em qualquer situação, e nada pode substituí-lo, a não ser para os que não gostam de ler...
Mas concordo com a maior parte do que está escrito no artigo.

Beijos no coração.

Rô.

Xênia da Matta disse...

Oi, amigos,
Adoro quando vocês vem até minha página e opinam sobre as postagens. Isso me motiva muito a continuar blogando...

Quero abrir um espaço para agradecer a Cris, por dizer que adora meu blog, que fofo! Fiquei muito feliz, de verdade. obrigada, ta?

Bjux a todos e muito sucesso sempre!

Claudinha disse...

E eu te proponho agora o inverso: o que a internet acrescenta em nossas vidas?
Para mim, só pelo fato dela propiciar o contato com pessoas diferentes que talvez não tivéssemos oportunidade de conhecer pessoalmente, já valeu tudo que talvez ela nos tire!
Bjão!

Sami disse...

"O Twitter se tornou uma tribuna aberta para piadas sobre a morte de pessoas famosas. Algumas de muito mau gosto, mas um antídoto para o “luto” dos fãs que, de outra forma, predominaria."

Não sei porque eu deveria ficar de luto, ou me sentir tocado pela morte de uma celebridade.

Não é alguém da minha família, não é alguém que eu conheça pessoalmente, não é alguém que paga as minhas contas ou me sustenta ou lava as minhas cuecas ou paga a minha comida.

Enfim, é um ninguém na minha vida. Não vou ficar de luto, nem fazer nada na minha vida só porque uma celebridade morreu (oh!!! Que tragédia!).

Além do que, eu tenho mais o que fazer e com o que me preocupar.