Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Jovem americano bate no pai por causa de ronco



A falta de respeito está alcançando índices preocupantes. Ao ler esta notícia fiquei indignada. Onde está os valores e as virtudes humanas que estamos formando em nossos filhos?

Independentemente de crença, de raça, de sexo, de posição social, de condição econômico-financeira, de cultura, e até mesmo de idade, em verdade, todo ser humano merece respeito. Um pai e uma mãe então, merece todo o respeito do mundo.

Lamentavelmente, nem sempre tem sido assim, uma vez que continuam a prevalecer em nosso meio,o orgulho e o egoísmo, sem dúvida alguma as duas maiores chagas da Humanidade.

Recorrendo ao dia-a-dia, desde logo veremos como é forte a presença do egoísmo e, por conseguinte, da falta de respeito ao semelhante.

E até chegarmos ao ponto de espantar um pai por causa de seu ronco, fomos atravessamos pequenos estágios, para exemplificar, quando furamos a fila, seja do que for, estamos partindo do pressuposto de que o nosso tempo é mais importante do que o dos outros, que chegaram antes, e sobretudo estamos agindo em completo desrespeito às mais comezinhas regras de convivência em coletividade, ainda que não escritas.

De igual modo, se vamos a um teatro assistir a uma palestra e, além do lugar que ocupamos, colocamos qualquer objeto no assento ao lado com o intuito de guardá-lo para um amigo que está atrasado, evidentemente estaremos nos comportando com  egoísmo, em detrimento de outras pessoas, que já chegaram àquele auditório, mas que não podem se utilizar dos assentos porque já estão "ocupados". Egoísmo e falta de respeito.

São milhares os exemplos, que estão ao nosso redor, de egoísmo e de orgulho, assim como de sua filha predileta, a vaidade.

E é facílimo concluir que todos querem ser respeitados, tanto assim que o dito popular diz que "respeito é bom e eu gosto". Todos gostam.

Se assim é, de todo conveniente que perguntemos: o que será preciso fazer para introduzir o respeito entre nós, de modo generalizado?

Pensamos ser indispensável que cada um enxergue no próximo um irmão e faça a ele o que gostaria que ele lhe fizesse, respeitando-o sempre, quaisquer que sejam as circunstâncias, os fatos e a situação.

Será excelente se conseguirmos nos colocar com exatidão no lugar do outro, procurando pensar como ele, em melhores condições de entendimento, portanto, particularmente no que tange ao modo como desejaríamos ser tratados.

É claro que esse aprendizado é lento e há de ser alcançado de maneira gradual, com o emprego de nossa vontade férrea de acertar e com os formidáveis recursos da disciplina e da determinação para alcançar esse desiderato.

Mas, que não percamos de vista, não há nenhuma razão para desânimo, uma vez que a própria Natureza não dá saltos, de maneira que tudo se consegue devagar, devagarinho, a pouco e pouco.

É importante, importantíssimo, assim, que cada um faça a sua parte e faça-a bem, com o máximo de esmero, com o que estará prestando notável contributo para a harmonia e para o equilíbrio das relações humanas!

E o respeito começa em nós, em nossa intimidade, sendo necessário respeitar-se para respeitar a outrem, razão pela qual uma das nossas bandeiras é a reforma íntima, para melhor, buscando-se transformar quanto possível o homem-velho que insiste em prevalecer em nossas atitudes e decisões.

O respeito há de ser geral, respeito à própria vida e à sua preservação, respeito à Natureza, respeito aos animais, aos vegetais e aos minerais, mas, sobretudo, respeito ao homem, essa complexa criatura de Deus, que um dia atingirá a perfeição relativa e a felicidade suprema, destino final de todos os seres humanos.

Todos aspiramos ser respeitados. Respeito é bom, é ótimo, e dele todos nós gostamos. Está em nossas mãos obtê-lo. Em nosso próprio benefício, assumamos um auto-compromisso: a partir de agora, deste exato instante, procuraremos agir com respeito, com profundo respeito, com respeito sempre!


Leiam na íntegra a notícia divulgada hoje no G1

Foto: Divulgação

Dylan T. Watson, de 18 anos 


Um jovem de 18 anos foi preso nos Estados Unidos depois de agredir o pai porque ele estava "roncando muito alto".

Segundo reportagem do jornal "St. Petersburg Times", Dylan T. Watson, de 18 anos, de Oldsmar, na Flórida, teria jogado uma revista no pai enquanto ele dormia e roncava no sofá da sala. Depois, o jovem teria empurrado o pai para o chão e dado socos no rosto dele.

Watson foi preso sem direito a fiança. O pai, que não teve o nome divulgado, foi levado a um hospital e está em observação. 


Um comentário:

Tony Pasquel disse...

Triste! O Mundo sem as regras Morais da Lei de Deus.

Está aí, uma das tantas provas do que o mundo exigiu ficar sem Ela (A Lei Moral de Deus).

"Se os teus filhos guardarem o meu concerto e os meus testemunhos, que eu lhes hei-de ensinar, também os seus filhos se assentarão perpetuamente no teu trono". Sal. 132:12.

"Instrui ao menino no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele". Prov. 22:6.

Fica com Deus.