Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

sábado, 9 de janeiro de 2010

Um a cada três gays assume sexualidade antes dos 15 anos

O momento de assumir a sexualidade é sempre uma grande batalha quando se é homossexual, mas os gays estão se assumindo mais cedo. Uma pesquisa realizada pela Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo durante a Parada LGBTT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) apontou que uma a cada três pessoas assume sua sexualidade diferente da hetero antes dos 15 anos. 

O estudo ouviu 211 pessoas entre 10 e 24 anos e concluiu que 31,3% disseram ter assumido a sexualidade diferente da hetero entre os 10 e os 14 anos, 62,8% entre 15 e 19 anos e apenas 5,9% após os 20 anos.



A pesquisa ainda mostrou que 71,1% dos entrevistados tinham assumido sua sexualidade diferente da hetero para a mãe. Os que contaram para o pai representaram 56,8% do total. 

Entre as pessoas do sexo masculino, 42% responderam que haviam se relacionado sexualmente com mais de 10 parceiros e 19,4%, com cinco a nove parceiros. Já entre as mulheres, 35% informaram terem tido relacionamento com mais de 10 parceiros e 30%, com cinco a nove parceiros. 

Metade das pessoas ouvidas relatou ser vítima de preconceito, discriminação ou falta de respeito nos serviços de saúde. Alegaram falta de atenção, descaso ou desinteresse no atendimento 9,95%. Entre os entrevistados do sexo feminino, 61,6% vão ao médico preventivamente e, entre os do sexo masculino, 52,2%. 

"A rede de saúde precisa acolher esses adolescentes e não inibi-los, pois a vulnerabilidade pode fazer com que o jovem adote comportamentos de risco. O acompanhamento médico adequado dos jovens deste grupo pode evitar o surgimento ou agravamento de problemas de saúde", afirma a coordenadora de Saúde do Adolescente da secretaria, Albertina Duarte Takiuti. Fonte: Abril/mulher



A família ainda não está preparada para assumir seus filhos gays. Como educadora vejo que para muitos pais é como se seu filho(a) tivesse nascido com um defeito de "fabricação". Não digo que seja fácil aceitar, sei que não é, mas, é preciso saber que os gays assim como todas as minorias já enfrentam grandes preconceitos sociais, e que a família é o grande porto seguro para esses jovens. Será que é mesmo necessário discriminar seu filho também em casa?Pense nisso...

3 comentários:

lison disse...

Saudações!
Que Post Fascinante!
Amiga Xenia, muito boa a sua matéria abordando um tema tão delicado e complexo. Eu particularmente penso que os responsáveis precisam assumir os filhos gays. E depois ao que me parece todos são almas viventes... E a Alma tem sexo? Eu não sei...
Parabéns pelo excelente texto!
Abraços,
LISON.

arte-e-manhas.com disse...

Olá Xénia,

Penso também que não é fácil os pais aceitarem a homossexualidade dos filhos. No entanto as famílias vão estando cada vez mais abertas às diferenças, o que me parece mais difícil é a discriminação social a que esses jovens estão sujeitos. Nessas idades a rejeição dos amigos, as piadinhas em surdina dos vizinhos, professores e outras pessoas próximas, podem levar esses jovens a comportamentos menos saudáveis.

Beijos
Luísa

Dani disse...

Olá XEnia
Gostei muito deste teu artigo e me fez lembrar uma frase de um amigo há muitos anos atrás... Disse ele:"As pessoas que mais sofrem preconceito são os gays, que nem a família os aceita.Já um negro pode sofrer preconceito na rua, mas dentro de casa ele é amado pela sua família."
É fato, a família nem sempre aceita.
Não é fácil nem para o homossexual e nem para a família, mas acho que a família tem que estar disposta a ver o homossexual como um ser humano, deixando de lado a religião e a ciência.Acima de tudo somos todos seres humanos.
Abraços
Belo post.