Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Marido rouba o cabelo da mulher para comprar crack...

É isso mesmo que voce leu, um homem desesperado pela fissura da abstinencia do crack, sem ter o que roubar em sua casa rouba o cabela de sua ex-mulher, que não cortava o cabelo há mais de dez anos.
A jovem de 24 anos chegou a receber uma proposta de um cabeleireiro envolvido no mercado de perucas para vender o cabelo por cerca de R$ 1.000 mas recusou.

Durante a noite, enquanto dormia, ela foi surpreendida pelo marido, invadiu a casa e cortou seu cabelo para trocar por crack enquanto ela dormia. O homem foi surpreendido pela própria filhinha de 06 anos que acordou a mãe.O homem responsável vai responder por lesão corporal e violência doméstica.

Você pode assisrtir a reportagem completa no link abaixo. O que me deixa preocupada é que cada dia mais o crack faz novas vitimas e destroe novas famílias, marcando nossas crianças de forma irreparavel citimas da violencia dessa droga que é o portal do inferno.

Peço a todos os pais e educadores que entrem nessa nossa batalha contra o mal do século que é o crack. Converse com os jovens, com as crianças, com seus filhos para que sejam conscientes do que o crack é capaz de fazer com as pessoas.

Crack, nem pensar!!

http://noticias.r7.com/rio-e-cidades/noticias/marido-rouba-o-cabelo-da-mulher-para-comprar-crack-no-rio-20100518.html

Divulgem tudo que puderem sobre esse tema, é a nossa unica chance de vencer o crack!

3 comentários:

Fábio Klein, muito prazer! disse...

Obrigado por mencionar assuntos sobre o #CRACK precisamos mostrar ao máximo de pessoas possivel pois está praga está tomando tudo. abraço.

Leila disse...

Que coisa absurda... o que esses viciados não serão capazes de fazer...

aservicodoreino disse...

Um alerta diário de quão eficiente é essa droga, deixando o viciado em uma condição deplorável.
Apesar da notícia ser até certo ponto patética, é muito séria, pois revela a face de como as pessoas se transformam em virtude da necessidade da droga.