Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

DE CAPACHO A MULHER DOS SONHOS





DEIXE-ME APRESENTÁ-LA À MULHER BOAZINHA

Todas nós conhecemos uma mulher boazinha. É aqueque se entrega por completo a um homem que mal conhece, sem que ele tenha que investir muito. É a mulher que se dá cegamente porque anseia receber de volta a mesma atenção.
É a mulher que age de acordo com o que ela acha que o homem gosta ou deseja porque quer manter o relacionamento a qualquer custo. Toda mulher, em algum momento, já passou por isso.

É verdade que as revistas femininas, em geral, estimulam esse comportamento: “Comece bancando a difícil. Mas no segundo encontro prepare uma refeição dos deuses para ele, crie um ambiente romântico com música suave, champanhe em copos de cristal e luz de velas... Não se esqueça dos guardanapos bordados e dos morangos orgânicos daquela loja maravilhosa a duas horas da sua casa. Depois, sirva tudo usando uma camisola de renda preta.” Essa é uma receita perfeita para quê? Para um desastre.


Tudo aquilo que perseguimos foge de nós.

Principalmente quando se trata de homens. Mas com um pequeno detalhe: se você correr atrás dele usando uma camisola de renda preta, primeiro ele vai transar com você... e depois vai sair correndo.
Por que um homem foge de uma situação como essa? Porque o comportamento da mulher indica que ela não se valoriza suficientemente. A relação é nova e os laços que unem o casal
ainda são tênues. Entretanto, ela já permitiu que ele tivesse todos os trunfos na mão.
O fato de a mulher se exceder nas atenções com um sujeito que é praticamente um estranho pode levá-lo a duas conclusões: ou ela está desesperada ou vai para a cama com qualquer
um. Ou ambas as coisas. O esforço que ela fez não é apreciado.

E quando o homem começa a perder o respeito por uma mulher que sutilmente se desvaloriza, ele perde também o desejo de se aproximar dela. Com ou sem camisola de renda preta.
Por outro lado, uma mulher poderosa nunca se mata só para impressionar alguém. Começa preparando algo simples e descontraído. Sem guardanapos bordados. Ela pode até perguntar:
“Do que é que você gosta?”, como faria com qualquer pessoa amiga. Por isso, seis meses depois, quando a mesma mulher capricha no jantar para o mesmo homem, ele conclui:“Puxa! Eu sou especial para ela!” E não é preciso ter champanhe ou caviar. Se o homem perceber
o afeto e o cuidado que foram colocados no preparo da refeição, ele vai se sentir um verdadeiro rei. A diferença agora é que o jantar é uma resposta a todo o investimento da parte dele. Como não recebeu tudo de graça, ele valoriza muito mais o que conquistou.


As mulheres que enlouquecem os homens nem sempre são excepcionais. Em geral, são aquelas que dão a impressão de não se importar muito. Isso não tem nada a ver com joguinhos de conquista. Trata-se de ser muito carente ou de gostar da própria companhia e demonstrar que, de certa forma, você se basta.
O que aconteceria se você o deixasse perceber que está disposta a dar tudo de si, desde o primeiro dia? Ele acharia que você está desesperada e começaria a testá-la. Isso faz parte da natureza humana. E quanto mais você cedesse, mais ele exigiria. Em pouco tempo, ele a veria como um produto do qual poderá tirar o máximo proveito: “Até onde ela vai? Quanto consiguirei extrair dela?”

As garotas boazinhas precisam aprender algo que as mulheres poderosas já sabem. As concessões excessivas e a ânsia de agradar diminuem o respeito que o homem tem pela mulher e acabam com a atração que inicialmente os aproximou. Os homens, em geral, não se sentem desafiados quando se vêem diante de uma mulher que não mede sacrifícios para conquistá- los. Elas não oferecem o desafio mental que os homens procuram.

Por outro lado, as mulheres erram ao imaginar que, se tiverem doutorado, se souberem defender suas idéias em uma discussão sobre política internacional ou se entenderem de investimentos, serão naturalmente capazes de oferecer um estímulo mental ao homem. 
O desafio mental tem muito mais a ver com a atitude do que com a conversa. Geralmente, a mulher que se faz respeitar e que demonstra não ter medo de viver sozinha constitui um desafio mental muito mais instigante.
A boazinha comete o erro de estar sempre disponível. “Não gosto de joguinhos”, explica. Assim, ela permite que seu parceiro veja quanto teme perdê-lo, demonstrando claramente que ele tem total domínio sobre ela. Em geral, é nesse momento que a mulher começa a reclamar: “Ele nunca tem tempo para mim. Ele não é mais tão romântico quanto antes.”

A mulher poderosa está disponível algumas vezes, mas outras não. Porém ela é amável o suficiente para levar em consideração as preferências do namorado quanto ao dia em que ele gostaria de vê-la, de forma que ela possa, às vezes, adaptar seus planos aos desejos dele. A conseqüência disso? Um relacionamento em que ninguém domina ninguém. E a mulher que larga tudo o que está fazendo, a qualquer hora do dia ou da noite, para ir ao encontro de um homem?

Ele sabe que a controla completamente. Por isso, depois de um tempo, o sujeito passa a sair com os amigos e só telefona à meianoite,  pois sabe que ela virá quando ele quiser. Quando a mulher recebe o telefonema de um homem no meio da noite, pega o carro e sai correndo para encontrá-lo, a única coisa que está faltando é uma placa luminosa no teto do carro com a inscrição: ENTREGA EM DOMICÍLIO.


Um homem percebe que a mulher oferece um desafio mental quando ele sente que não
tem total domínio sobre ela. O tempo que vocês passam juntos é revelador. Uma semana depois de conhecer o novo par, a mulher boazinha está sentada em uma cadeira, morrendo de tédio, enquanto ele faz algo de seu interesse, como assistir ao futebol na televisão, limpar o molinete da vara de pescar ou mexer no motor do automóvel. Ela se sente infeliz mas não dá um pio, submetendo-se a uma chateação monumental só para ficar perto dele.

E como reagir quando o sujeito diz que gosta de louras e você é morena, tem olhos escuros e cabelos pretos? Se você aparecer, no dia seguinte, de cabelos descoloridos combinando com as
sobrancelhas oxigenadas, não restará dúvida. Ele vai saber que tem total controle sobre você.
E como age a mulher poderosa? Ela escolhe a cada momento o que a faz mais feliz. Se observar o namorado consertar a vara de pescar a diverte, ela fica ao seu lado. Caso contrário, vai buscar algo que a distraia. Se ele diz que gosta de louras, ela se olha no espelho para examinar a possibilidade de clarear o cabelo. Mas só vai fazer isso se lhe der prazer, sabendo que, se não gostar, é só voltar para a cor original.

A mulher poderosa pode até ir para a cozinha fazer um prato especial para o parceiro, mas não vai se esmerar em preparar um banquete logo no primeiro encontro. E, se for para a cozinha, é porque gosta. A mulher poderosa não perde tempo refinando as habilidades indispensáveis para “agarrar um marido”.

Nas primeiras vezes que sai com um homem, ela se concentra simplesmente em ser boa companhia.
Preste atenção no seguinte: um homem que, desde o início do namoro, está voltado para ele mesmo e para as próprias necessidades provavelmente não será um bom companheiro.Mas
muitas vezes as mulheres se excedem tanto em atender todos os desejos de seus parceiros – os expressos e os que elas imaginam – que eles se habituam a apenas receber. Pergunte-se: você está se esforçando demais? Não está dando chance a ele de retribuir?

A base de um relacionamento é estabelecida logo nos primeiros  dias. Desde o início, ele, conscientemente (isso mesmo, conscientemente),  tenta determinar até que ponto conseguirá se dar bem. 

Os hábitos relacionados ao uso do telefone também são reveladores.  Você espera que ele telefone antes de fazer qualquer  plano? Fica furiosa se ele não telefona ou não aparece? 

Se a resposta for sim, você mais uma vez está transmitindo o  recado de que ele tem total controle sobre a relação, uma mensagem  que não deve ser dada a alguém que você mal conhece. 

Algumas vezes o homem não telefona de propósito,  só para ver como você reage.  Faz parte da natureza do homem sondar para ver até que ponto  ele consegue se dar bem. Este mesmo comportamento se observa  em crianças e até em animais domésticos. É um comportamento 
típico. 

Recuar também é algo que os homens fazem para se sentirem  mais seguros. Nenhum homem vai dizer: “Querida, preciso  saber o que represento para você.” Em vez disso, ele se retrai 
para ver a sua reação. Quando você demonstra desamparo ou  indignação, isso dá a ele uma sensação de controle. E se você se  comporta sempre da mesma maneira, com o passar do tempo  ele deixa de enxergá-la como um desafio mental. Mas, se ele não  pode prever sua reação, você passa a representar um desafio. 

Muitas vezes o homem recua porque precisa de liberdade  para respirar. Se ele se afastar mais tempo do que o normal,  procure aceitar isso com a maior serenidade possível. Dessa 
forma, ele vai ficar sem saber se você sente saudade (ou melhor,  se precisa) dele. Mas quando o homem percebe que a mulher tem uma carência enorme, o mais provável é que se afaste, por  estar assustado ou desinteressado. 

Tente não dizer coisas do tipo: “Por que você não me ligou?”  ou “Por que você desapareceu durante uma semana?”. Se você  agir como se isso não tivesse tanta importância (porque você 
tem vida própria e outras formas de diversão), ele irá procurá la  se estiver de fato interessado. Por quê? Porque não vai achar  que tem total controle sobre você. A visão que você tem de si mesma  influenciará o homem. 

Isso funciona de duas maneiras. Assim como uma mulher de  aparência normal pode se tornar linda por causa daquilo que  transmite, uma mulher linda pode se torna feia aos olhos de 
um homem se for muito insegura. 

Se ele foi atrás de você, é porque a considera atraente. Um  comportamento tranqüilo e seguro irá convencê-lo de que você  é deslumbrante. 

Você já percebeu que o importante é gostar de si mesma e se  valorizar. Se não consegue isso, procure a ajuda de um terapeuta.  Caso contrário, esses conselhos não surtirão efeito porque 
sua atitude externa não refletirá uma segurança interna. 

Então, vamos repetir: nunca admita – nem para você mesma  – que não é bonita. Se você se achar feia, correrá o risco de se  tornar feia para os outros. Gosto é algo subjetivo. O que para 
um homem é “feio”, para outro, é “lindo”. O primeiro encontro envolve mais a aparência. Nos seguintes, o que conta é a sua  atitude, sua segurança e sua postura.  Aja como se fosse um prêmio e ele acreditará. 

Outra forma de se rebaixar é comparar-se a outra mulher. Portanto, nunca deixe transparecer quando se sentir ameaçada por uma beldade. Se você quiser fazer com que uma mulher nota 6  passe a valer 12, basta demonstrar que se sente ameaçada. Se  você se mantiver tranquila e segura – mesmo que por dentro a  presença dela a ameace –, seu acompanhante ficará fascinado  por você. E, então, algo curioso acontecerá. De repente, a outra  mulher não parecerá tão ameaçadora. O poder que ela tem é o  que você lhe dá.  

Homens de qualidade são atraídos por menos, não por mais.  Atitudes discretas são mais estimulantes do que grandes exibições.  Discrição não significa falta de beleza ou ausência de uma  pitada de provocação. Se um homem vê uma mulher elegante  de terninho e coque, já começa a imaginar como ela ficará com  o cabelo solto e sem tanta roupa. Volto a afirmar: a parte mais  difícil não é despertar o interesse masculino, é saber mantê-lo. 

Muito do processo de construção de um relacionamento sólido  depende do seu autocontrole. Dedique-se, seja companheira,  mas não exagere. Não telefone demais, não passe horas 
na cozinha fazendo um banquete para ele nem se vista de maneira  excessivamente provocante. Lembre-se: se você vender  a alma para manter um relacionamento, vai ter que pagar a  conta depois. 

À medida que o relacionamento se aprofundar e você adquirir  confiança, vai se sentir mais segura para saber que atitudes  tomar. Talvez queira se vestir de maneira mais sensual, 
preparar pratos especiais, inventar novidades excitantes na  cama. Mas aí ele saberá que você faz isso porque o ama e se  sente amada e quer presenteá-lo com suas atenções e cuidados. 


“Ele tem que me aceitar como eu sou!”, diz a mulher boazinha.  Aceitar? De jeito nenhum, amiga. Acorde. Ele tem é que  ser louco por você. Aceitação não tem nada a ver com isso. Ele 
aceita um capacho. Mas deseja a princesa encantada. Se você  quer aceitação, procure um grupo de auto-ajuda. Estamos falando  do que o faz suspirar. Tudo começou quando ele era 
criança. Quando recebeu de presente de Natal algo que não  pediu e com o qual brincou por cinco minutos. O brinquedo  que ele amava era aquele que ficava lá na última prateleira da 
loja e com o qual ele sonhava. Foi preciso juntar meses de mesada  para comprá-lo. E é desse que ele sempre se lembrará, porque  teve que fazer por merecê-lo. 

Se a escolha for entre ter dignidade e ter um  relacionamento, a mulher poderosa prioriza 
a dignidade acima de tudo. 

A mulher poderosa é a mesma pessoa do começo ao fim do relacionamento.  Ela não se afasta dos amigos, não abre mão da  carreira nem de seus passatempos prediletos. Ela nunca faz concessões  que a violentem para manter o homem a seu lado, não se deixa humilhar e tem consciência do próprio valor. Ao contrário  da boazinha, ela não tolera desrespeito. 

A mulher poderosa tem enorme respeito por si mesma e faz  as escolhas que contribuem para o seu crescimento. Como ela  não tem medo, é ele quem fica com medo de perdê-la. Como não 
se mostra carente, o homem começa a sentir necessidade dela.  Como não depende dele, ele passa a depender dela. É como um  ímã ao contrário. A pessoa que é menos dependente do resultado  do relacionamento atrai a outra automaticamente. 

Pense com carinho na mulher poderosa, porque não se trata  de uma pessoa dominadora, arrogante ou agressiva. Não é uma  mulher rude que fala em um tom de voz áspero. Ela é gentil,  mas firme. Ela diz clara e serenamente a sua verdade e ouve a  dos outros. Ela afirma seu desejo, mas é capaz de negociar e até  de abrir mão de determinadas questões para manter o equilíbrio  do relacionamento. Assim, é mais fácil para o homem lidar  com a mulher poderosa do que com aquela que faz chantagem  emocional, se descontrola ou se submete para prendê-lo. Aqui  estão 10 características que definem a mulher poderosa: 

1. Ela mantém a própria independência. 

Não importa se ela é garçonete ou empresária. Ela gosta do que  faz e da capacidade de se sustentar com seu trabalho. 

2. Ela não corre atrás do homem. 

A lua, o sol e as estrelas não giram em torno dele. Ela não corre  atrás do homem nem vigia seus passos. Ele não é o centro do  Universo. 

3. Ela é misteriosa. 

Existe uma diferença entre ser verdadeira e dizer tudo o que  sente. A mulher poderosa escolhe o que quer revelar e tem um  universo próprio. Nesse sentido, ela é imprevisível e desperta a  curiosidade. 


4. Ela deixa espaço para que ele sinta saudade. 

Ela não o vê todas as noites, não deixa longas mensagens em  sua caixa postal nem se torna íntima da secretária dele logo  após o primeiro encontro. Os homens gostam de sentir falta da 
mulher – isso os estimula. 

5. Ela procura resolver os próprios problemas. 

Ela não despeja sobre ele suas preocupações, sobretudo no início  do relacionamento. Busca outros recursos, reflete e, se acha  conveniente, divide com ele as questões resolvidas. Procura 
acalmar-se antes de conversar. 

6. Ela mantém o controle. 

Ela vai devagar, principalmente quando ele tem pressa. Ela se  move no próprio ritmo, e não no dele, evitando que ele assuma  o controle sobre ela. 

7. Ela não perde o senso de humor. 

O senso de humor dá leveza à relação e demonstra seu desprendimento.  Entretanto, ela é capaz de tratar com seriedade  qualquer questão que ele levante. 

8. Ela se valoriza. 

Quando ele a elogia, ela agradece e não tenta convencê-lo de  que está enganado. Ela não pergunta sobre a ex-namorada dele  e não compete com outras mulheres. 

9. Ela tem paixão por outras coisas além dele. 

Uma mulher com múltiplos interesses é muito mais fascinante  do que aquela cujo único foco parece ser o homem. Como ela  tem vida própria e independente, ele terá uma parceira com 
quem trocar experiências. E a mulher poderosa não se sente sozinha  e relegada a segundo plano quando ele está ocupado com  outras coisas. 

10. Ela trata o próprio corpo com gosto e entusiasmo. 

Ela cuida da aparência e da saúde. A auto-estima e o respeito de  uma pessoa por si mesma se refletem na aparência física. Ela  não deixa de usar batom vermelho porque ele não gosta dessa  cor. Também não abre mão de se cuidar só para ficar mais  tempo com ele. Mesmo porque um homem que não deseja que  a mulher se cuide não merece qualquer atenção. Fuja dele! 


 Retirado do livro: Um guia para você deixar de ser boazinha e se tornar irresistível 
SHERRY ARGOV

Nenhum comentário: