Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

sábado, 11 de setembro de 2010

Eu sou deprimido?

colibri


Prestem atenção neste alerta colocado na porta de um espaço terapêutico.

Muitas vezes :

O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
E as tuas dores caladas ? como elas falam no teu corpo ?
Mas cuidado....escolha o que falar, com quem, onde, quando e como !!!
Crianças é que contam tudo , para todos, a qualquer hora, de qualquer forma.
Passar relatório é ingenuidade.
Escolha alguém que possa te ajudar a organizar as idéias, harmonizar as sensações
e recuperar a alegria.
Todos precisam saudavelmente de um ouvinte interessado.
Mas tudo depende, principalmente , do nosso esforço pessoal para fazer
acontecer as mudanças na nossa vida !!! ( autor desconhecido)




Eu sou deprimido?




Para mim depressão significa a perda da liberdade.

A gente quer fazer alguma coisa e não consegue. Quer ir para algum lugar e não consegue. Quer realizar algo e não consegue. Queremos sentir algo e não sentimos.

Ficamos presos num poço sem energia no meio de pensamentos ruins e desagradáveis, congelados. Sem ação.
Tudo fica tão difícil que se fazemos as contas se vale a pena o esforço para realizar algo, geralmente o resultado é que não vale a pena. E não fazemos.

Por isso que eu digo que perdemos nossa liberdade enquanto deprimidos.

Quando não estamos deprimidos não pensamos duas vezes para gastar nossa energia porque temos de sobra. Não estamos limitados nem pelo nosso corpo nem pela nossa mente.

A sensação de liberdade de ir e vir some na depressão.

E a felicidade que acompanha essa sensação de liberdade de que podemos fazer o que queremos também desaparece e vem a culpa por não conseguir fazer nada. Vem também a auto-reprovação. A gente se sente um lixo.

Por isso, acredito que a busca na cura da depressão é reaver a própria liberdade e todas sensações boas que a acompanham.



QUANDO PROCURAR AJUDA E QUEM?

Tem depressão que passa sozinha e tem aquelas que a gente precisa de ajuda de profissionais.

Tem depressão que era para acontecer e que é normal sentir. É quando a gente fica triste com alguma coisa. Só que daí não é depressão, é tristeza mesmo. E não dá para chegar no medico e dizer “doutor, estou triste porque meu namorado me deu o fora”.

Vira depressão quando a tristeza extrapola e espirra para outras partes da vida da gente.

Se você chega no médico e fala “doutor, faz uma semana que não escovo os dentes porque meu namorado me deu o fora”, aí é depressão.

A maioria das depressões passa sozinha, com o tempo.

Como se a pessoa completasse um ciclo de ir até o fundo do poço e depois voltar.

Quando a gente, ou alguém legal que nos dá o toque, percebe que o ciclo não está se completando, ou seja, foi ao fundo do poço mas não está saindo dele, é a hora de procurar o médico.

Tudo é uma questão de movimentos. A vida é movimentos.

Ficar triste, ficar deprimido mas manter o movimento de piora e em seguida de melhora é normal. Ficar parado na piora sem movimento de melhora é doença.

Então entra o psiquiatra, que é o profissional especializado em depressão.

Apenas o psiquiatra pode determinar se você precisa de remédios ou não. E se precisa de terapia com o psicólogo.

Outro determinante para saber se você precisa de ajuda é ver se você se agüenta, se as pessoas em sua volta agüentam você.

A sensação é de dar um basta: eu não me agüento mais assim. “Estou de saco cheio de mim desse jeito.”
Quando se chega nesse estágio, se faz qualquer coisa para sair da situação ruim, até procurar um medico!

2 comentários:

Silvana Marmo disse...

Olá Xenia,
Convivo com um cunhado que sofre de depressão e posso lhe garantir que não é tristeza, é um problema quimico e que problema.
Meu carinho

Xênia da Matta disse...

Com certeza, você tem razão sim, a falta de lítio provoca fortes crises depressivas. Obrigada por comentar. bjux