Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Dinâmicas para o Dia do Índio

Uma cultura diferente
Atividades:

1 - Pesquisar em lendas indígenas e outros materiais os costumes e tradições indígenas relacionadas ao cuidado com a natureza: terra, água; com as pessoas. O que estes povos nos ensinam?
2 - Identificar na sua região algum integrante de uma comunidade indígena e promover um encontro onde a cultura e os saberes indígenas estejam no centro do debate. É possível organizar o ambiente com músicas, artesanato, lendas, comidas típicas dos povos indígenas, a fim de valorizar e promover estas culturas que compõem a identidade do povo brasileiro. Para mais informações sobre os povos indígenas, acesse o site: www.museudoindio.org.br



Irapuru - O canto que encanta

Certo jovem, não muito belo, era admirado e desejado por todas as moças de sua tribo por tocar flauta maravilhosamente bem. Deram-lhe então o nome de Catuboré (flauta encantada). Entre as mulheres, a bela Mainá conseguiu o seu amor; casar-se-iam durante a primavera. Certo dia, já próximo do grande dia, Catuboré foi à pesca e de lá não mais voltou. Saindo a tribo inteira à sua procura, encontraram-no sem vida à sombra de uma árvore, mordido por uma cobra venenosa. Sepultaram-no no próprio local. Mainá, desconsolada, passava várias horas a chorar sua grande perda. A alma de Catuboré, sentindo o sofrimento de sua noiva, lamentava-se profundamente pelo seu infortúnio. Não podendo encontrar paz, pediu ajuda ao Deus Tupã. Este então transformou a alma do jovem no pássaro Irapuru que, mesmo com escassa beleza, possui um canto maravilhoso, semelhante ao som da flauta, para alegrar a alma de Mainá. O cantar do Irapuru ainda hoje contagia com seu amor os outros pássaros e todos os seres da natureza.

Do livro Lendas e Mitos dos Índios Brasileiros, de Waldemar Andrade e Silva. Editora FTD.

Nenhum comentário: