Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Criança também sofre de depressão



Quem já enfrentou uma crise de depressão sabe que não é fácil sair dela. O que dizer, então, quando a doença atinge uma criança? Ver o filho chorando, longe dos amigos ou com o olhar perdido é de arrasar qualquer mãe...

Nem mesmo os mais novinhos estão livres, desse mal. "A depressão no bebê está quase sempre ligada à mudança ou à perda do responsável por cuidar dele", comenta a psicóloga Maria Cristina Capobianco.
Preste atenção no seu filho: depressão não é a mesma coisa que tristeza. Pode acontecer de ele ficar desanimado por um período ou por um motivo específico, como a morte de alguém ou uma decepção amorosa. "Nesses casos, espere um mês. Se a tristeza não passar, procure ajuda", aconselha a psicóloga Suzy Camacho. 


Como descobrir se a criança tem depressão?

Medo, insegurança, dependência emocional, falta de diálogo e ausência de amigos aumentam a possibilidade de depressão. Jovens também têm sido alvo. "Alguns sofrem com medo de engordar e por não gostar da própria aparência, ou com decepções amorosas e conflitos familiares", alerta Maria Cristina Capobianco. 


Se a depressão não for tratada que mal pode trazer para meu filho no futuro?

Ele pode se tornar uma pessoa tímida, irritada ou agressiva. Talvez tenha dificuldade em alcançar objetivos e estabelecer relacionamentos no futuro. Por isso, é melhor ficar de olho nele. Quanto mais cedo a criança for tratada, melhor. 


Como posso ajudar meu filho?

Pais e familiares são fundamentais no processo de cura. Lembre-se: seu filho precisa de atenção, com ou sem depressão. Caso a doença seja detectada, demonstre ainda mais amor e carinho. Mesmo que ele tenha acompanhamento médico, o afeto de quem ele mais ama é importantíssimo. 




Como agir quando meu filho estiver mal?

A depressão atingiu seu pequeno e você não sabe como agir? Veja cinco dicas que a psicóloga Maria Cristina Capobianco dá para ajudar você a tirá-lo dessa situação

Não ignore os sintomas: Depois que a depressão for diagnosticada, é hora de agir. Leia histórias com finais felizes para ele e invente atividades, como pintar ou montar um quebra-cabeças. Isso aumenta a união familiar e a confiança entre vocês dois. 

Perceba se ele está estressado: É sempre bom reavaliar a rotina do seu filho. Pode ser que ele esteja sobrecarregado, o que traz cansaço e estresse. Ou talvez ele esteja entediado por não fazer nada. Procure ajudá-lo seja qual for o caso. 

Estabeleça rotinas diárias: Não tenha medo de impor regras e horários na sua casa e seja firme no cumprimento deles. Quando ele fizer tudo certinho, recompense-o com elogios. Crie rotinas gostosas, como ler para ele antes de dormir e cobri-lo já na cama. "Assim, você está mostrando que os problemas não são culpa dele, que tudo continua como antes, e que ele é importante", diz a psicóloga. 

Fique atenta às pistas que ele dá: Há comportamentos frequentes entre crianças e adolescentes. Um deles é se achar inferior aos amigos. Se ele chegar da escola e disser "Sou um tonto", pergunte por que pensa assim ou se aconteceu algo lá. "Ele precisa de atenção, ele quer que você se interesse", alerta Maria Cristina. 

Busque ajuda profissional: Se você perceber que o comportamento do seu filho passou dos limites e que ele não consegue melhorar, mesmo com seus cuidados e providências, é hora de pedir ajuda profissional de um médico psiquiatra. Esse especialista irá avaliar a situação e receitar remédios se necessário. 




Quais os sinais que demonstram que ele está com depressão?

- Fica constantemente triste e chora com facilidade. 
- Tem sensibilidade ou irritação em exagero. 
- Comporta-se de maneira agressiva e violenta. 
- Dorme muito ou quase nada. 
- Perde o interesse pelas atividades favoritas. 
- Isola-se dos amigos e da família. 
- Fica aborrecido e se cansa com facilidade. 
- Não consegue se concentrar. 
- Diminui o próprio valor e mostra baixa autoestima. 
- Reclamar de dores de cabeça e de estômago. 
- Não come direito ou fica com o apetite desordenado. 
- Não quer mais ir à escola.

Nenhum comentário: