Mensagem do dia

Estude! Saber é o maior diferencial que existe!

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Arte com copos descartáveis

 Que tal reciclar copinhos de danoninho e fazer belas flores para a Primavera?

   É preciso apenas copinhos vazios, canudinhos e imaginação!



1. Retirar a aba do copinho de danoninho com a tesoura.



2. Cortar o copinho em tiras:



3. Juntando dois copinhos de cores diferentes para dar o efeito, fazer uma perfuração no centro:



4. Fazer 3 fendas no topo de cada canudinho:



5. Inserir o canudinho no furo feito no centro e dobrar os recortes dele para deixar bem firme:



6. Colar pequenos corações no centro para esconder o canudinho e firmar bem;



7.Juntar todos! Aqui está o seu ramalhete! 



As flores ainda podem ser utilizadas uma a uma para murais, lembranças de primavera ou dia das mães etc.

Mensagem para reflexão: Fernando Pessoa

 NAVEGUE. Descubra tesouros. Mas não os retire do fundo do mar. O lugar deles é lá. 


ADMIRE A LUA.Sonhe com ela. Mas não queira trazê-la para a Terra.


CURTA O SOL.Se deixe acariciar por ele. Mas lembre-se que seu calor é para todos.


SONHE COM AS ESTRELAS.Apenas sonhe. Elas só podem brilhar no céu.

NÃO TENTE DETER O VENTO. Ele precisa correr por toda parte. Ele tem pressa de chegar.

 NÃO APRESSE A CHUVA. Ela quer cair e molhar muitos rostos. Não pode molhar só o seu.


AS LÁGRIMAS? Não as seque. Elas precisam correr na minha, na sua, em todas as faces.


O SORRISO?Esse deve se segurar. Não o deixe ir embora. Agarre-o!


QUEM VOCÊ AMA?Guarde dentro de um porta jóias. Tranque, perca a chave!Quem você ama é a maior jóia que você possui. A mais valiosa.


NÃO IMPORTA SE A ESTAÇÃO DO ANO MUDA.SE O SÉCULO VIRA


CONSERVE A VONTADE DE VIVER.Não se chega à parte alguma sem ela.


ABRA TODAS AS JANELAS QUE ENCONTRAR.E as portas também


PERSIGA UM SONHO.Não deixe ele viver sozinho.Alimente sua alma com AMOR.Cure suas feridas com CARINHO.


DESCUBRA-SE TODOS OS DIAS.Deixe-se levar pelas vontades.Mas não enlouqueça por elas.


PROCURE.Sempre procure o fim de uma história.Seja ela qual for.


DÊ SORRISO PARA QUEM ESQUECEU-SE COMO SE FAZ ISSO.Olhe para o lado.Alguém precisa de você.

ABASTEÇA SEU CORAÇÃO DE FÉ.Não a perca nunca.Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os.Agonize de dor por um amigo.Só saia dessa agonia se conseguir tirá-lo também.. 


PROCURE OS SEUS CAMINHOS.Mas não magoe ninguém nessa procura.Arrependa-se.Volte atrás.Peça perdão!

NÃO SE ACOSTUME COM O QUE NÃO O FAZ FELIZ.Revolte-se quando julgar necessário.

ALAGUE SEU CORAÇÃO DE ESPERANÇAS.Mas não deixe que ele se afogue nelas.: 

Se achar que precisa voltar.VOLTE!Se perceber que precisa seguir.SIGA!Se estiver tudo errado.COMECE NOVAMENTE!Se estiver tudo certo.CONTINUE!Se sentir saudades.MATE-A!Se perder um amor.NÃO SE PERCA!Se achá-lo.SEGURE-O!: Se achar que precisa voltar. VOLTE! Se perceber que precisa seguir. SIGA! Se estiver tudo errado. COMECE NOVAMENTE! Se estiver tudo certo. CONTINUE! Se sentir saudades. MATE-A! Se perder um amor. NÃO SE PERCA! Se achá-lo. SEGURE-O!



Fernando Pessoa

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Por que se preocupar com drogas?

Muitas pessoas estão acomodadas quanto o assunto é "DROGA". Por que me preocupar com essa temática se está tudo bem na minha casa, com meus filhos e amigos?
DROGA É UM PROBLEMA DE TODOS! Não podemos mais fechar nossos olhos e deixar que esse " ladrão de sonhos" roube nossos jovens e crianças. A sociedade tem que se mobilizar e combater esse vilão.
É muito difícil convencer alguém a não fazer algo que lhe dá prazer - e a droga, antes de qualquer outra coisa, é algo que oferece prazer imediato.
Por causa disso, fazer terrorismo com histórias macabras ou exagerar na descrição dos efeitos das drogas só piora as coisas: a maioria dos jovens são melhor informados sobre drogas do que os próprios pais, mesmo quando não são usuários. Portanto, a prevenção ao uso de drogas começa muito antes. 
Para o psiquiatra Flávio Gikovate, a prevenção passa necessariamente por um tipo de educação não apenas aberto ao diálogo, mas também à independência. "O tipo de educação que se vê hoje cria adolescentes fracos. E um ser imaturo, sem paixão, que não consegue enxergar a vida com seriedade, é altamente predisposto à influência do meio".
Mas este "meio" não são apenas os amigos, embora a pressão do grupo seja um fator importante, ainda mais nesta idade: "Os exemplos que o adolescente tem em casa também contam muito. Muitos deles ouvem discursos que os incentivam à responsabilidade e ao autocontrole, por exemplo, mas veem os pais comendo compulsivamente, bebendo, ou fazendo coisas irresponsáveis. Isto não significa que os pais estejam sendo levianos ou mal intencionados, mas é importante que os pais observem a coerência entre o que dizem e o que fazem".
Incentivar os filhos a terem uma vida saudável e produtiva, portanto, é a melhor forma de mantê-los longe das drogas e de outros tipos de dependência, como a do consumo, do jogo e tantas outras. Dar-lhes suporte afetivo e cuidar de sua autoestima são tarefas muito mais complexas, mas também mais eficazes tanto para evitar o problema das drogas, quanto para formar adultos mais corajosos e conscientes de si mesmos.

COMO TRATAR O PROBLEMA DAS DROGAS

O psiquiatra Flávio Gikovate é taxativo: não existe receita. Cada caso tem sua complexidade, e o correto é, antes de mais nada, informar-se e buscar ajuda profissional. Ele também destaca que a grande maioria dos jovens usuários fazem uso das drogas por algum tempo, e depois param. Apenas um pequeno número continua usando drogas na vida adulta, e um número ainda menor se torna dependente.
Aliás, quanto à dependência química e psicológica, somente um profissional especializado no assunto pode fazer o diagnóstico e encaminhar ao tratamento, que raramente envolve procedimentos como internação ou medicação.
Mas, se o usuário já ultrapassou a linha do consumo eventual e/ou começa a sentir os efeitos nocivos das drogas sem conseguir reagir a eles, é hora (ou já se passou da hora) de se iniciar um tratamento.
Para superar o vício, o dependente precisa, antes de tudo, querer. Mas, se não houver uma vontade por parte do usuário, a intervenção familiar é bem-vinda e, em muitas vezes, consegue sucesso. Instituições de todos os tipos entram nessa batalha de cura. Os Narcóticos Anônimos, uma das mais conhecidas instituições, estabelecem passos básicos para o tratamento do usuário de drogas. Esses "passos" incluem a admissão de que existe um problema, a busca de ajuda, autoavaliação, partilha do problema preservando a identidade do dependente, reparação de danos causados pelo dependente e trabalho com outros usuários de drogas que queiram se recuperar.
Existem muitos tipos de dependências e o tratamento para cada uma delas é diferente. O tratamento também varia dependendo das características do paciente. Problemas mentais, ocupacionais, de saúde, ou sociais, que tornam as pessoas dependentes dificultam ainda mais o tratamento. As terapias comportamentais oferecem às pessoas estratégias para serem usadas nas crises de ausência da droga. Ensinam aos usuários meios de abandonar a droga e de evitar recaídas, e ajudam a lidar com as recaídas caso elas ocorram.
Os melhores programas juntam uma combinação de terapias e outros serviços para atingir as necessidades individuais do paciente que são ajustadas de acordo com a idade, raça, cultura, orientação sexual, gravidez, parentesco, moradia e emprego.
Pesquisas mostram que o uso contínuo da droga causa modificações significantes nas funções cerebrais que persistem por muito tempo depois que o indivíduo para de usar a droga. Para pacientes internados ou não, o tratamento deve ter, em geral, a duração de 90 dias. Mas, tratamentos mais prolongados são indicados. Para a manutenção, um tratamento de 12 meses é o mínimo necessário.
O entendimento que o vício tem tal componente biológico é importante para ajudar a explicar a dificuldade que a pessoa tem de atingir e manter a abstinência sem tratamento. E revela o motivo do processo de tratamento do vício precisar de um longo período. Muitas instituições consideram, inclusive, que o tratamento de um dependente químico dura para o resto de sua vida.
Além de fazer com que o usuário abandone o uso de drogas, o êxito do tratamento leva a pessoa de volta às funções normais da família, do lugar de trabalho e da comunidade. O processo do tratamento individual depende da extensão e da natureza dos problemas apresentados pelo paciente e da participação ativa do paciente no tratamento. 

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Frases para o Dia dos Namorados e outros dias de amor

Não ser amado é uma simples desventura. A verdadeira desgraça é não saber amar.
(Autor desconhecido)


Amar não é mais que morrer em si para renascer no outro.
(Autor desconhecido)



Omnia vincit amor - o amor vence tudo.
(Virgílio)



O amor não tem idade, está sempre a nascer.
(Blaise Pascal)




A medida do amor é não ter medida.
(Santo Agostinho)



Há apenas um remédio para o amor: amar ainda mais.
(David Thoreau)



O inferno é já não amarmos.
(Georges Bernanos)


Amar alguém é ser o único a ver um milagre invisível para outros.
(Mauriac)


O segredo para dar mais relevo às coisas mais humildes, mesmo às mais humilhantes, é amar.
(Josemaría Escrivá)



Quando o amor enche o coração, não deixa nele lugar para mais nada. Nem para o ódio, nem para o rancor, nem para o orgulho.
(José Mallorqui)



É quando nos esquecemos de nós mesmos que fazemos coisas que merecem ser recordadas.
(Autor desconhecido)



Um homem tem a idade da mulher a quem ama.
(Provérbio chinês)


O amor por uma pessoa deve incluir os corvos do seu telhado.
(Provérbio chinês)



Quem tiver dó de mim, não me diga, mas venha e tenha dó.
(Sebastião da Gama)



O amor não deve ser apenas uma chama: deve ser também uma luz.
(Henry David Thoreau)



O amor não se conjuga no passado: ou se ama para sempre, ou nunca se amou verdadeiramente.
(Autor desconhecido)


A falta de amor é a maior de todas as pobrezas.
(Madre Teresa de Calcutá)


Suba alto; Suba longe. Seu objetivo é o céu; Seu alvo, as estrelas.
(Inscrição no Williams College)


Aquele que tentou e nada conseguiu é superior àquele que não tentou.
(Bud Wilkinson)


Evitar o perigo não é, a longo prazo, tão seguro quanto expor-se ao perigo. A vida é uma aventura ousada ou, então, não é nada.
(Helen Keller)


Arriscar-se é perder o pé por algum tempo. Não se arriscar é perder a vida. . .
(Soren Kiekegaard)


O medo do perigo é mil vezes pior do que o perigo real.
(Daniel Defoe - in Robison Crusoe)



Se não houver frutos, valeu a beleza das flores. . . Se não houver flores, valeu a sombra das folhas . . . Se não houver folhas, valeu a intenção da semente . . .
(Maurício Francisco Ceolin)


O ruído faz pouco bem, o bem faz pouco ruído.
(S. Francisco de Sales)



Os bons pensamentos produzem bons frutos, os maus pensamentos produzem maus frutos. . . e o homem é seu próprio jardineiro.
(James Allen)



Ó beleza! Onde está tua verdade?
(Shakespeare - Tróilo e Cressida)


Todas as maravilhas de que precisas estão dentro de ti.
(Sir Thomas Browne)


Quando procuraste a companhia de uma satisfação sensual... - depois, que solidão!
Por que debruçares-te a beber nos charcos dos gozos mundanos, se podes saciar a tua sede em águas que brotam para a vida eterna?
(S. Josemaría Escrivá)


Procurando o bem para os nossos semelhantes encontramos o nosso.
(Platão)


Sem o seu riso, um aposento cheio de gente tagarelando parece frio e vazio.
N. Naidoo


É fácil conquistar uma mulher a cada dia. O difícil é conquistar a mesma mulher todo dia!
(Autor desconhecido)

A tradição do dia dos namorados


No Brasil comemorarmos o dia dos namorados no dia 12 de junho.
Mas em grande parte do mundo (como EUA, Itália e Canadá), a data escolhida é 14 de fevereiro, dia de São Valentim (São Valentino, para alguns, ou o Valentine's day dos americanos), um santo devotado à ideia do amor.
Na verdade, há dois santos "Valentino". Um deles foi um padre, santo e mártir, que viveu no tempo do império romano, no ano de 269, durante a perseguição aos cristãos.

Segundo a lenda, o imperador Cláudius II estava mais interessado em seu exército e nas guerras do que na vida em família , e ele estava convencido de que os solteiros, sem esposas nem filhos, eram melhores soldados do que os casados e não teriam medo no campo de batalha.
Tanto era verdade, que o imperador foi tão longe a ponto de ditar uma lei proibindo o casamento. São Valentino, contudo, desafiou o imperador e continuou a celebrar matrimônios em segredo, até ser descoberto, preso e executado.

O outro São Valentino também viveu sob o império romano. Ele levava uma vida simples e era especialmente bondoso com as criancinhas. Um dia, Valentino foi jogado na prisão pelos romanos por ter se recusado a adorar os deuses deles. Dizia-se que as crianças escreviam mensagens de amor para ele e as lançavam pela janela da cela. Estes foram os primeiros cartões do "dia dos namorados". Mas não existe nenhum registro histórico disso.
Os cartões que conhecemos hoje foram feitos pela primeira vez por volta de 1800 e alguns eram bem enfeitados e decorados com pássaros e flores. Hoje, alguns dos cartões mais populares são os de humor.
No Brasil, apesar de ser comemorado às vésperas do dia de Santo Antônio, o famoso santo casamenteiro, tudo começou com uma campanha realizada em 1949 pelo publicitário João Dória - na época na Agência Standard Propaganda - sob encomenda da extinta loja Clipper.
Para melhorar as vendas de junho, então o mês mais fraco para o comércio, e com o apoio da confederação de Comércio de São Paulo, instituiu a data com o slogan:
"Não é só de beijos que se prova o amor".
A Standard ganhou o título de agência do ano e a moda pegou, para a alegria dos comerciantes. Desde então, 12 de junho se tornou uma data especial, unindo ainda mais os casais apaixonados, com direito a troca de presentes, cartões, bilhetes, flores, bombons....uma infinidade de opções para se dizer "Eu Te Amo!".

Nem todos os países comemoram o dia dos namorados como nós fazemos. Na Itália, as pessoas fazem um grande banquete no dia 14 de Fevereiro. Na Inglaterra, as crianças cantam canções a recebem doces e balas de frutas de seus pais. E na Dinamarca, as pessoas mandam flores prensadas umas às outras, chamadas "flocos de neve".
No Japão a data foi introduzida em 1936 e o costume neste dia é as mulheres presentearem os seus amados com caixas de chocolates. Embora a data represente uma oportunidade para as mulheres declararem o seu amor, nos últimos anos o giri choco (chocolate de cortesia ou “obrigação”) também se encontra presente na cesta de compra de grande parcela da população feminina. Mas, muita gente ainda reluta em adotar a data, alegando que se trata de uma jogada comercial, no que não deixam de ter razão, uma vez que o Valentine’s Day representa cerca de 20% do volume anual de vendas das fábricas de chocolate do arquipélago. Mas, o que vale mesmo é a intenção e não há como negar que a vida fica um pouquinho mais doce com estas declarações de amor e com estes chocolates.
Nos Estados Unidos nos dias que antecedem 14 de fevereiro, lojas de cartões, livrarias, lojas de departamentos e drogarias oferecem uma grande variedade de cartões comemorativos chamados Valentines.
Os adultos costumam comprar cartões para acompanhar presentes mais elaborados como doces, flores ou perfumes. Nas escolas as crianças apreciam comprar ou fazer cartões para seus amigos e professores.

Mas, cá entre nós, todo dia é dia para se dizer "Eu Te Amo!"

Desenhos para colorir - Dia dos Namorados -










10 apelidos curiosos entre os namorados

A cantora e ex-primeira-dama francesa Carla Bruni chama seu marido, o ex-presidente Nicolas Sarkozy, de 'Chouchou'. Samantha Cameron, a esposa do primeiro-ministro britânico David Cameron, foi ouvida dizendo no microfone: 'eu te amo, bebê'. E a primeira-dama americana Michelle Obama descreveu a foto acima, a mais compartilhada de todos os tempos no Twitter, com a frase: 'Esse é meu docinho (tradução livre da expressão honey, mel, em inglês) me dando um abraço'.
Algumas expressões de afeto podem ser usadas em muitas línguas - 'bebê', 'anjo' e 'querido(a)', por exemplo. Mas outras não se traduzem tão bem. Se você chamar um francês ou francesa de 'mel', ele ou ela achará que está sendo chamado de grudento ou sentimental.

Barack e Michelle Obama (Foto: AFP) 
Barack e Michelle Obama (Foto: AFP)
 
E como você reagiria se alguém o chamasse de repolho, pulga ou elefantinho?
Confira um pequeno guia da linguagem do amor pelo mundo, dominada por metáforas desde a culinária até o reino animal.
1. Repolhinho (francês)
Petit chou
'Chou' (repolho) ou 'chouchou' é o equivalente francês de 'querido(a)'. A palavra dá a ideia de algo pequeno e arredondado e também é usada para descrever massas usadas em pratos da confeitaria francesa como profiteroles. 'Chou' também dá a ideia de uma cabeça de criança. Ao longo dos anos, muitas crianças francesas ouviram dos pais que os meninos nasciam em repolhos e as meninas, em rosas.
2. Chuchuzinho (português brasileiro)
'Chuchu' é um legume um tanto insosso - mas a semelhança da palavra com o 'chouchou' sugere que o apelido brasileiro para o ser amado derivou do francês, mesmo que se refira a um vegetal diferente.
3. Ovo com olhos (japonês)
Tamago gata no kao
No Japão, as mulheres são frequentemente chamadas de 'ovo com olhos' por seus amantes. É um grande elogio â'€ ter um rosto oval é considerado muito atraente na cultura japonesa. É possível observar o fascínio pelos 'ovos com olhos' nas pinturas tradicionais do país.
4. Torrão de açúcar (espanhol)
Terrón de azúcar
Assim como 'honey' (literalmente, mel) em inglês, doces costumam se transformar em termos carinhosos em muitas línguas. A expressão 'torrão de açúcar' se refere aos cubos de açúcar usados para adoçar chá ou café. Aparentemente, ela está bem no alto na escala de sentimentalismo, então use com moderação.
5. Fruta do meu coração (indonésio)
Buah hatiku
Apesar de a expressão ter um uso romântico e aparecer em canções de amor e poemas, ela é mais usada atualmente para expressar afeição por crianças. Publicitários usam 'fruta do meu coração' em produtos orientados para a família e especialmente jovens casais da classe média: 'O melhor presente/alimento/produto para 'a fruta do seu coração''. A expressão também é encontrada em quase todos os livros e artigos sobre paternidade, e ela frequentemente aparece como nome de organizações focadas em crianças, incluindo um hospital perto de Jacarta.
6. Minha pulga (francês)
Ma puce
'Ma puce' é o equivalente francês de 'queridinho(a)' ou 'amorzinho(a)' em português. Uma teoria sugere que a expressão pode ter ligação com a relação histórica entre humanos e pulgas - em tempos passados, remover pulgas do outro era um cuidado dividido entre pessoas íntimas, que dizia-se ser bastante agradável.
7. Gazela (árabe)
Ghazal
A poesia clássica árabe é cheia de em imagens de belas gazelas (uma metáfora para mulheres). Há numerosas referências às 'lanças letais' do olhar de uma bela mulher. Se você acredita nos poetas, os caçadores (uma metáfora para homens em geral) podem morrer de amor após um simples olhar da gazela. Hoje também, um homem podem dizer a uma mulher que ela tem 'olhos de gazela' ('Laki uyounul ghazal'). Isso pode significar que ele sucumbiu ao seu feitiço antes que ela ficasse enfeitiçada por ele.
8. Elefantinho (tailandês)
Chang noi
Elefantes são os animais mais queridos do povo tailandês. Eles supostamente trazem boa sorte, especialmente os elefantes brancos. O símbolo do elefante pode derivar do deus hindu Ganesha, refletindo a grande influência que a cultura indiana exerce na região. Os elefantes têm um lugar tão especial no coração dos tailandeses que se tornaram um emblema na bandeira do país. 'Elefantinho' pode ser usado afetuosamente para chamar uma criança â'€ mas entre adultos tem uma conotação diferente.
9. Peixe afogado, ganso caído (chinês)
Chen yu luo yan
A expressão vem de um conto sobre a mulher mais bonita da história, uma mulher chamada Xi Shi. Diz-se que ela era tão bonita que quando olhou para os peixes de um lago, os peixes ficaram tão deslumbrados por sua beleza que esqueceram de nadar e, gradualmente, desceram para o fundo do lago. Do mesmo modo, diz-se que quando gansos voaram sobre uma mulher chamada Wang Zhaojun, eles ficaram tão impressionados com sua beleza que esqueceram de bater as asas e acabaram por precipitar-se para o chão. Por causa disso, até hoje, quando um jovem chinês está apaixonado por uma mulher chinesa, ele pode dizer que para ele, ela é tão bonita quanto Xi Shi ou Wang Zhaojun. Para fazer isso, ele só precisa dizer quatro palavras: 'Peixe afogado, ganso caído'.
10. Pombinho(a) (russo)
Golubchik (masc.) / golubushka (fem.)
O romancista e poeta russo Alexander Pushkin usou a palavra 'pombinha' para se referir afetuosamente a sua babá idosa nos versos de um de seus poemas mais conhecidos. Mas a babá também poderia ter usado a mesma palavra para se referir a ele, quando ele era uma criança (e ela provavelmente usou). Como expressão de carinho, a palavra aparece desde pelo menos o livro Cântico dos cânticos, no Antigo Testamento ('Minha pomba...mostra-me teu rosto'), escrito originalmente em hebraico. A tradução eslava da Bíblia teve uma influência profunda na formação da língua russa, então o uso na Rússia pode ter raízes bíblicas.
O professor de línguas e autor de livros sobre italiano, francês e espanhol Paul Noble contribuiu com este artigo.

Fonte: G1

segunda-feira, 10 de junho de 2013

A conquista da natureza




A “conquista da natureza” pelo homem é uma expressão muito utilizada no cotidiano científico. Num certo filme de ficção científica, um protagonista disse que “o homem derrotou a natureza”. Em seu contexto, essa afirmação portava uma certa beleza trágica, porque o personagem que as pronunciou morria de tuberculose. “Não importa”, prosseguiu dizendo, “que eu seja uma das baixas. É claro que, nessa batalha, haja quem tombe dos dois lados. Mas isso não muda o fato de que o homem está vencendo”.

Desde a virada do milênio, vivemos um período de grandes oportunidades para o homem e para o mundo. E de grandes perigos também, como em qualquer época histórica. Entretanto, considerando o grau de saber científico e de domínio da matéria acumulados no século passado, algo impensável no século retrasado, o homem apossou-se de um poder de dispor do mundo a ponto de destruí-lo.

E isso, de certa forma, causa algum pavor, tornando aqueles perigos ainda maiores. Menos visível, mas não menos inquietante, são as chances de automanipulação conquistadas pelo homem: as ciências biológicas e as ciências exatas sondaram as profundidades da constituição genética do ser, decifraram seus componentes e estão a poucos passos, digamos assim, de construir o próprio homem.

O homem, consumada essa fase, passaria vir ao mundo como produto de nosso agir e, logo, poderia ser selecionado segundo as exigências de nossa natureza biológica ou de nossos interesses e caprichos. O homem deixaria de refletir uma imagem transcendente para ser o puro reflexo do próprio homem. Mas, de qual homem?

A julgar pelo progresso científico que aumenta em razão diretamente inversa ao desenvolvimento de nossa energia moral, deve ser o homem da ciência. O homem do laboratório. O homem do gabinete. O homem cuja mentalidade técnica confina a moral ao âmbito estritamente subjetivo e secundário, já que o importante é apenas o progresso da ciência.

Essa situação agrava ainda mais aqueles perigos, porque rejeita uma moral pública capaz de responder às ameaças que pesam sobre cada um de nós e nossos descendentes. Prefere prosseguir justamente no caminho do desequilíbrio entre as possibilidades técnico-científicas e aquela energia moral.

Um certo nível de segurança que buscamos para o exercício da ciência, necessário como pressuposto da liberdade e da dignidade humana, não poder vir, em última análise, de sistemas técnicos de controle e de protocolos normativos exclusivamente. Deve surgir da força moral do homem, porque, onde quer que ela falte ou seja insuficiente, o poder de criação do homem será transformado, cada vez mais, em poder de destruição.

Nessa trajetória de “conquista da natureza”, arriscaria a dizer que, no último estágio, o homem fincaria sua vitoriosa bandeira no território do completo domínio de si mesmo, alcançado mediante a eugenia e a manipulação pré-natal, somadas a uma educação e uma propaganda conjugadas numa perfeita psicologia aplicada. A natureza humana será a última parte da natureza a se render ao homem. Seremos livres para fazer o que bem entender de nossa espécie. A batalha, então, restará vencida. Mas quem exatamente a terá vencido?

Comecei o texto com uma expressão triunfante, sem pretender menosprezar os benefícios desse processo de dominação sobre a natureza e todo o sacrifício pessoal que os tornaram possíveis. Mas esse poder científico crescente somente tem sentido quando a energia moral do homem também cresce e na mesma medida.

E termino com uma afirmação preocupante: “um pensamento ardeu na minha mente: por mais que o conhecesse, se me tivesse em seu poder, não hesitaria em me usar em seus experimentos, em prol da conquista da natureza. Afinal, existem baixas para os dois lados.” Foi a resposta que, no filme, o interlocutor deu ao protagonista tuberculoso, depois de seu último suspiro. Com respeito à divergência, é o que penso. 







André Gonçalves Fernandes, nascido em 1974, é Juiz de Direito da 2ª Vara Cível e de Família da Comarca de Sumaré/SP. Graduado, no ensino fundamental e médio, pelo Colégio Visconde de Porto Seguro em 1991. Bacharel e Mestre em Direito pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco em 1996 e 1999. Atua como magistrado desde 1997. Articulista do Correio Popular de Campinas e da Escola Paulista da Magistratura desde 2002. É membro da Comissão de Bioética da Arquidiocese de Campinas/SP desde 2008 e professor do Instituto Internacional de Ciências Sociais (IICS) desde 2011. Mestrando em Filosofia e História da Educação pela Universidade de Campinas desde 2012. Fala inglês, francês, italiano e alemão. Casado e pai de 4 filhos. É torcedor do São Paulo Futebol Clube.

E-mail: agfernandes@tjsp.jus.br